Moody's rebaixa rating de oito bancos gregos

Avaliação da agência de classificação de risco é de que as instituições terão forte prejuízo com os bônus do governo que detêm em carteira

LONDRES , O Estado de S.Paulo

24 de setembro de 2011 | 03h09

A agência de classificação de risco Moody's rebaixou ontem oito bancos gregos em duas notas, com perspectiva negativa, prevendo perdas com os bônus do governo grego que as instituições têm nas carteiras de ativos. A ação eleva as preocupações sobre o impacto de uma recessão bem como sobre as frágeis posições de financiamento e de liquidez do setor.

Os ratings do National Bank of Greece, EFG Eurobank Ergasias, Alpha Bank, Piraeus Bank, Agricultural Bank of Greece e Attica Bank foram rebaixados de B3 para Caa2. Emporiki Bank of Greece e General Bank of Greece tiveram as notas reduzidas de B1 para B3. "O governo enfrenta desafios de solvência significantes e a experiência histórica mostra que pequenas reestruturações da dívida soberana têm sido com frequência seguidas por calotes soberanos maiores", alertou a Moody's.

A Moody's disse que os credores privados podem registrar perdas econômicas substanciais nos bônus do governo grego, além dos termos da atual troca de dívida proposta, especificamente se houver "qualquer possível desdobramento desfavorável relacionado à implementação do segundo pacote de socorro de € 109 bilhões" da União Europeia, Banco Central Europeu (BCE) e Fundo Monetário Internacional (FMI).

Todos os principais bancos gregos anunciaram que participarão do programa de swap de bônus do governo. Ao anunciarem os resultados no mês passado, os bancos, conduzidos pelo líder do mercado National Bank of Greece, registraram perdas combinadas de aproximadamente € 5 bilhões sobre os bônus governamentais que detinham, registrando um prejuízo enorme no segundo trimestre.

Alvos. No início da semana, a Standard & Poor's cortou as notas de quatro bancos italianos. Por meio de nota, foi rebaixado o rating de crédito de longo prazo dos bancos Intesa Sanpaolo SpA e Mediobanca SpA de A+ para A, de forma a colocar as notas das instituições financeiras em linha com as do país. Na segunda-feira, a S&P rebaixou o rating soberano da Itália também de A+ para A.

A agência também rebaixou o rating de duas subsidiárias italianas do banco francês BNP Paribas, que detinha € 20,8 bilhões em títulos da dívida italiana em 30 de junho: a Findomestic Banca teve sua nota cortada de A+ para A e a Banca Nazionale del Lavoro teve as notas de longo e curto prazo rebaixadas de AA-/A-1+ para A+/A-1.

A S&P também colocou os quatro bancos rebaixados e outras 11 instituições financeiras, entre elas a UniCredit SpA, em perspectiva negativa, o que abre a possibilidade de novos rebaixamentos no futuro.

Nos Estados Unidos, a Moody's rebaixou, também está semana, o rating de crédito de longo prazo do Wells Fargo e o de curto prazo do Citigroup, além dos ratings de curto e de longo prazos do Bank of America. / AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.