Estadão
Estadão

Moody's rebaixa ratings de 12 bancos brasileiros e da BM&FBovespa

Rebaixamento ocorre após a agência de classificação de risco reduzir o rating soberano do Brasil; perspectiva para as empresas também é 'estável'

Danielle Chaves, O Estado de S. Paulo

12 de agosto de 2015 | 15h31

SÃO PAULO - A agência de classificação de risco Moody's rebaixou nesta quarta-feira, 12, os ratings de 12 bancos brasileiros e da BM&FBovespa, em sequência ao rebaixamento do rating soberano do Brasil. Assim como foi feito com a perspectiva do rating soberano, a perspectiva dos ratings das instituições afetadas pela ação anunciada hoje foi alterada de "negativa" para "estável".

A Moody's rebaixou de "Baa2" para "Baa3" os ratings de depósito de longo prazo em moeda global das seguintes instituições: Banco Alfa de Investimento, Banco Bradesco, Banco Citibank, Banco do Brasil, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Banco Mizuho do Brasil, Banco Safra, Banco Santander, Caixa Econômica Federal, HSBC Bank Brasil, ING Bank N.V. - São Paulo e Itaú Unibanco.

O rating de emissor de longo prazo em moeda local e estrangeira da BM&FBovespa foi rebaixado de "Baa1" para "Baa2".

Ontem, a Moody’s rebaixou o rating soberano do Brasil de “Baa2” para “Baa3”, a última nota dentro da faixa considerada como grau de investimento, e alterou a perspectiva da nota de “negativa” para “estável”. 

Embora o rebaixamento seja uma notícia ruim, de perda da confiança na economia brasileira, o fato de a Moody’s ter indicado perspectiva “estável” foi interpretado pelo governo e pelo mercado como bom sinal, de que o País ganhou tempo para tentar evitar a perda do grau de investimento, o selo de bom pagador, referência para os investidores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.