André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Moreira Franco e Serra vão fechar roteiro para divulgar concessões fora do País

Nova York, Londres e Pequim estão entre os destinos mais prováveis; governo promete abordagem mais técnica e criteriosa

André Borges, O Estado de S.Paulo

23 de maio de 2016 | 13h20

BRASÍLIA - A divulgação das concessões de infraestrutura será tema de encontro entre o secretário do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Moreira Franco, e o ministro das Relações Exteriores, José Serra. O objetivo é definir um cronograma e os destinos para divulgação dos projetos brasileiros no exterior, com apoio direto das embaixadas de cada país. A agenda será fechada ainda com a Câmara de Comércio Exterior (Camex), órgão que integra o conselho de governo da Presidência da República. 

As cidades de Nova York, Londres e Pequim estão entre os destinos mais prováveis, embora ainda não estejam confirmados. Trata-se de locais já visitados por equipes da presidente afastada Dilma Rousseff, quando da divulgação de seu programa de concessões. A abordagem com os investidores, no entanto, promete ser mais técnica e criteriosa, segundo a Secretaria do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). 

Secretaria do PPI. A estrutura comandada por Moreira Franco, que terá apenas 12 integrantes, foi dividida em três áreas: articulação de políticas públicas; transparência e articulação institucional; e coordenação de projetos. Basicamente, uma cuidará do planejamento; outra, do relacionamento; e a terceira, da execução.

O Estado apurou três nomes que vão integrar o "núcleo duro" da secretaria, em contato direto com Moreira Franco: Eduardo Parente, executivo que foi presidente da Prumo Logística Global entre dezembro de 2013 e dezembro de 2015; Joaquim Lima, funcionário de carreira da Caixa; e Helcio Tokeshi, que era diretor-geral da Estruturadora Brasileira de Projetos (EBP), empresa criada pelo governo Dilma para liderar a elaboração dos estudos para concessões na área de infraestrutura. 

Reportagem publicada hoje pelo Estado aponta que o governo do presidente em exercício, Michel Temer, tem em mãos um levantamento preliminar de uma centena de novas concessões e 40 renovações de contratos da área de transportes que estão maturados para serem concedidos nos próximos dois anos. O panorama feito pelas agências reguladoras aponta investimentos da ordem de R$ 110,4 bilhões em aeroportos, rodovias, portos e ferrovias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.