Morgan Stanley prevê recessão suave nos EUA em 2008

A equipe global de economistas do banco de investimentos Morgan Stanley reduziu substancialmente sua previsões para o crescimento global em 2008. Pela primeira vez, eles estão prevendo uma leve recessão nos EUA no próximo ano. "Estas mudanças nos levaram a revisar os pesos dos nossos cenários divulgados em 8 de novembro e, como resultado, rebaixamos o preço-alvo para o MSCI EM (índice de ações do Morgan Stanley para mercados emergentes) em 6%, de 1.430 para 1.345 pontos", afirma a equipe de estrategistas liderada por Jonathan Garner, Michael Wang e Vinicius Silva em relatório divulgado hoje.É a primeira vez que o banco rebaixa o preço-alvo para o MSCI EM desde o início da cobertura em novembro de 2006. O novo preço-alvo gera um retorno total esperado de 6,8% considerando-se os níveis atuais do indicador e a sua projeção para dezembro do próximo. Pelo momento, os economistas não alteraram a recomendação de alocação de ativos para a carteira emergente.Os analistas reduziram a probabilidade do cenário de bolha (otimista) de 20% para 5%. "Dadas as mudanças feitas por nossa equipe global de economistas, este cenário envolvendo reaceleração do crescimento global, mais ganhos em preços de commodities e crescimento dos lucros acima do consenso se tornou mais instável recentemente", afirmam. Eles lembram que as autoridades chinesas indicaram publicamente uma mudança na política monetária em direção a um aperto mais agressivo, o que, segundo o Morgan Stanley, reduz ainda mais a probabilidade de uma maior expansão de múltiplos nas ações chinesas.A China tem peso de 15,3%, o maior no índice MSCI EM, enquanto o peso do Brasil é de 12,9%, o da Índia é de 7,5%, o da Coréia do Sul está em 14,9% e o de Taiwan em 10,5%. Entre outros países com destaque no índice aparecem Rússia (peso de 9,7%), a África do Sul (7,2%) e México (4,6%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.