Marcio Fernandes/AE
Marcio Fernandes/AE

Covid-19

Bill Gates tem um plano para levar a cura do coronavírus ao mundo todo

Morre Alfried Plöger, presidente do conselho da Abrasca, por novo coronavírus

Executivo também era presidente do conselho de administração da companhia Melhoramentos 

Luísa Laval, O Estado de S.Paulo

13 de abril de 2020 | 12h06

O presidente da Associação Brasileira das Companhias Abertas (Abrasca), Alfried Plöger, faleceu nesse domingo, 12, aos 80 anos, em decorrência do novo coronavírus. Segundo informou a associação, ele tinha problemas respiratórios e cardíacos anteriores.

Plöger presidia o conselho da Abrasca desde 2017. Também era um dos principais acionistas e ocupava o cargo de presidente do conselho de administração da companhia Melhoramentos. Além disso, atuava em diversas entidades, como o Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), a Associação Comercial de São Paulo e Conselho Superior de Economia da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

De acordo com o presidente executivo da Abrasca, Eduardo Lucano, Plöger estava internado havia duas semanas em tratamento da covid-19, mas não sabe ao certo como ele teria se contaminado. “O Alfried tinha uma liderança muito forte, com um estilo muito próprio: ao mesmo tempo que tinha posições firmes, tinha grande capacidade de diálogo. O estilo de liderança dele certamente vai fazer falta. Vai surgir outro líder, mas durante um tempo é um vazio muito grande, era uma pessoa muito ativa”, diz Lucano.

O presidente do Conselho Superior de Inovação e Competitividade da Fiesp, Antônio Carlos Teixeira, lamenta o falecimento de Plöger: “É uma grande perda para a Fiesp, porque era um colaborador muito intenso, e muito correto. Um grande companheiro e, algo que considero muito importante, tinha um grande senso de humor. Ele sempre contribuiu muito com as propostas para o setor dele (editorial), e com a preocupação por empresas pequenas que pudessem ser afetadas com mudanças na legislação”.

Por meio de nota, o presidente da Bolsa de Valores de São Paulo (B3), Gilson Finkelsztain, destacou que Plöger foi uma "figura central no desenvolvimento do mercado de capitais no país e incansável na luta franca em prol das companhias brasileiras. Esse é o legado que continuará com qualquer um de nós que tenha acompanhado a trajetória de Alfried Karl Plöger. Como representante da Abrasca, Plöger foi fundamental em várias iniciativas conjuntas realizadas com a B3, enriquecendo sempre o debate. À família, nosso fraterno abraço. Aos colegas da Abrasca e inúmeros amigos, a certeza de que continuaremos todos a honrar a trajetória de retidão e liderança deixada por ele".

Plöger nasceu em Stettin (Alemanha), em 1939, e morava no Brasil desde 1948. Formou-se em 1966 pela Escola Superior de Economia na Alemanha. Naturalizou-se brasileiro em 1980. Deixa esposa e quatro filhos.

Sucessão na Abrasca

Na linha de sucessão do conselho da Abrasca estão os vice-presidentes Frederico Gerdau, da Gerdau, e Maurício Botelho, da Energisa. Os mandatos da atual diretoria e do conselho de administração iriam até o final de maio, mas Lucano afirma que provavelmente serão prorrogados.

“Estamos há praticamente um mês da assembleia em que ocorre a eleição do conselho de direção, porém, de acordo com nossos estatutos, essa reunião deve ser presencial. Então, provavelmente ocorrerá uma prorrogação de mandatos. A gente não tem como fazer uma convocação para maio”, diz Lucano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.