bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Morre ex-secretário da Receita Osíris Lopes Filho

O advogado tributarista Osíris Azevedo Lopes Filho, ex-secretário da Receita Federal, morreu ontem pela manhã, em Brasília, em decorrência de complicações de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) ocorrido na sexta-feira da semana passada (dia 20). Ele estava internado no Hospital Santa Lúcia.Natural de Cachoeiro de Itapemirim, no Espírito Santo, Osíris Lopes Filho tinha 69 anos. Ocupou o cargo de secretário da Receita Federal entre 1993 e 1994, durante o governo Itamar Franco, período durante o qual conseguiu aumentar a arrecadação de impostos em cerca de 50%, sem aumentar a carga tributária - na época, de 22% do Produto Interno Bruto (PIB). Ocupou ainda a chefia de gabinete da Secretaria-Geral da Presidência da República. Nos últimos anos, trabalhava em seu escritório de advocacia, o Osíris Lopes Filho & Azevedo Lopes - Advogados Associados, prestando consultoria tributária a grandes empresas.Uma de suas ações mais reconhecidas foi a que motivou a sua saída da Receita: ele exigiu que toda a bagagem da seleção brasileira de futebol, tetracampeã, passasse pela alfândega ao retornar da Copa do Mundo dos Estados Unidos, em julho de 1994. Estima-se que a sonegação custou mais de US$ 1 milhão aos cofres públicos. Impedido de cobrar os impostos de importação sobre o excesso de bagagem, deixou o cargo. "Saí quando senti que não tinha mais o apoio do presidente", afirmou na época. Era um crítico da sonegação, e também do aumento e da criação de impostos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Agencia Estado

27 de fevereiro de 2009 | 10h49

Tudo o que sabemos sobre:
memóriaReceita Federal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.