Morre o fundador da joalheria H.Stern

O fundador da rede de joalherias H. Stern, Hans Stern, morreu na madrugada de ontem, aos 86 anos, de causas naturais. Seu corpo foi enterrado no Cemitério do Caju, Zona Norte do Rio. Hans Stern era casado com Ruth, com quem teve quatro filhos: Roberto, Ricardo, Ronaldo e Rafael.Nascido em 1922 na cidade de Essen, na Alemanha, Hans Stern e sua família vieram para o Brasil para fugir do nazismo, em 1939. Seu primeiro emprego foi aos 17 anos na Cristab, empresa especializada na exportação de minerais e pedras preciosas, no Rio. Exerceu a função de compra e venda de pedras preciosas, o que lhe rendeu diversas viagens pelo interior do País, sempre de cavalo ou de jumento.A H. Stern foi fundada em 1945, apenas como vendedora de pedras preciosas. Quatro anos depois, Stern abriu a primeira joalheria no porto do Rio, para mostrar aos turistas que desembarcavam na cidade como eram feitas as jóias de sua marca. Em 1956, recebeu o título de ''''cidadão honorário'''' do Rio.Stern se orgulhava de ter criado um selo de qualidade que facilitou a negociação no exterior de pedras brasileiras, como águas marinhas, ametistas, topázios e turmalinas.A H. Stern tem atualmente 160 lojas próprias e está presente em 170 pontos de venda por meio de parcerias, em 26 países, incluindo Emirados Árabes e Casaquistão.Stern vinha trabalhando normalmente na sede da empresa, em Ipanema, onde chegava todos os dias às 8h30. Pelo menos uma vez por ano, o fundador da H.Stern visitava as lojas e pontos de venda espalhadas pelo mundo.Dois de seus filhos, Roberto e Ronaldo, trabalham na H. Stern com o presidente, Richard Barczinski, e o vice-presidente, Victor Natenzon.Parte do sucesso da marca pode ser atribuído a agressivas estratégias de marketing, como emprestar jóias desenvolvidas no Brasil para estrelas de Hollywood na entrega do Oscar. Catherine Zeta Jones e Angelina Jolie são algumas atrizes que já usaram jóias da grife de jóias brasileira.Estima-se que o faturamento anual da H. Stern seja da ordem de R$ 400 milhões por ano. Por mês, são produzidas cerca de 20 mil jóias. Hans Stern raramente dava entrevistas e não gostava de posar para fotografias. Ele nasceu cego e começou a enxergar com o olho direito aos dois anos de idade. Gostava de ler nas horas vagas e tocar órgão.Sua preferência era por música clássica. Também gostava de colecionar selos e pedras preciosas raras.

Alberto Komatsu, O Estadao de S.Paulo

27 de outubro de 2007 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.