Morre Olavo Setubal, construtor do Itaú

Aos 85 anos, banqueiro ainda presidia o Conselho de Administração da holding e do banco

Renée Pereira e Renata Gama, O Estadao de S.Paulo

28 de agosto de 2008 | 00h00

Morreu na manhã de ontem, aos 85 anos, Olavo Egydio Setubal, presidente do Conselho de Administração do Banco Itaú e da holding Itaúsa. O grupo congrega operações industriais das empresas Duratex, Itautec e Elekeiroz e atividades financeiras, por meio do banco Itaú Holding Financeira (Itaú e Itaú BBA), que está entre os 15 maiores das Américas. A companhia conta com R$ 350 bilhões de ativos. Setubal ainda foi prefeito de São Paulo, entre 1975 e 1979, e ministro das Relações Exteriores quando José Sarney era presidente da República. Veja os fatos mais importantes da vida de SetubalEm homenagem ao ex-administrador da capital paulista, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, decretou luto oficial na cidade por três dias. Em nota, a prefeitura ressalta que Setúbal foi "um dos grandes prefeitos da história". O presidente Luiz Inácio Lula da Silva lamentou a morte do empresário por meio de nota de solidariedade aos familiares: "Olavo Setubal foi um dos grandes empreendedores brasileiros do nosso tempo." Olavo Setubal estava internado havia cerca de um mês no hospital Sírio-Libanês, na zona sul de São Paulo. Segundo pessoas próximas à família, durante esse tempo, ele apresentou momentos de melhoras e pioras repentinas. Na terça-feira, o empresário aparentou estar muito bem. Consciente, chegou até a pedir uma salada de frutas. Ontem, no entanto, seu estado de saúde piorou e ele morreu por insuficiência cardíaca.VELÓRIOO velório de Olavo Setúbal ocorre até as 10 horas de hoje no Centro Empresarial do Itaú, no Jabaquara, zona sul de São Paulo. Das 14 às 16 horas de ontem, apenas familiares puderam se aproximar do corpo. A partir das 16 horas, funcionários do Centro Empresarial fizeram filas gigantescas para se despedir do empresário e assinar o livro de visitas. Até as 19h30 de ontem, cerca de 3.500 pessoas haviam passado pelo local para homenageá-lo. Cento e vinte coroas de flores haviam sido recebidas .Por causa do alto movimento de empresários e autoridades políticas que foram ao velório, o tráfego de helicópteros no entorno do prédio era intenso. Entre os presentes estavam o presidente do Bradesco, Márcio Cypriano; o presidente do Unibanco, Pedro Moreira Salles; o ex-governador de São Paulo e ex-assessor de Setubal, Claudio Lembo; o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin; a ex-prefeita Marta Suplicy; e o prefeito Gilberto Kassab. Enviaram condolências o ex-presidente José Sarney e o governador do Estado de Minas Gerais, Aécio Neves. O corpo será cremado em cerimônia privativa aos familiares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.