finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Morte de aves em usina eólica provoca multa

Duke admitiu ter violado lei americana que protege aves migratórias, como a águia-dourada

Emma G. Fitzsimmons, The New York Times, O Estado de S.Paulo

27 de novembro de 2013 | 02h16

A Duke Energy acertou o pagamento de US$ 1 milhão em multas na sexta-feira como parte do primeiro caso criminal do Departamento de Justiça contra uma empresa de energia eólica pela morte de aves protegidas.

Uma subsidária da companhia, Duke Energy Renewables, admitiu a culpa, diante de um tribunal distrital federal em Wyoming, por violar a Lei do Tratado de Aves Migratórias, uma lei federal que protege aves migratórias. A empresa foi acusada de matar 14 águias-douradas e dezenas de outras aves em dois projetos eólicos em Wyoming desde 2009.

No pedido de acordo, a empresa disse que pagaria as multas a vários grupos preservacionistas, incluindo o North American Wetlands Conservation Fund e a Wildlife Foundation. A empresa também terá de montar um plano para impedir as mortes de aves no futuro, segundo autoridades federais.

"Em seu pedido de acordo, a Duke Energy Renewables admite ter construído os projetos eólicos de uma maneira que sabia de antemão que provavelmente resultaria em mortes de aves", disse Robert G. Dreher, procurador-geral adjunto em exercício da divisão de meio ambiente e recursos naturais do Departamento de Justiça, num comunicado.

As aves frequentemente morrem quando colidem com as turbinas eólicas, torres meteorológicas e instalações elétricas associadas aos projetos de energia eólica, segundo as autoridades. A águia-dourada, que tem esse nome pela cor de suas asas e cuja envergadura alcança 1,80 metro, em média, é comumente encontrada nas planícies ocidentais dos EUA.

A Duke Energy disse que já está trabalhando com autoridades federais para limitar as mortes de aves. A empresa está instalando uma nova tecnologia de radar para detectar aves e usando biólogos de campo para monitorar as águias e determinar quando as turbinas precisam ser desligadas, segundo a empresa.

"Nosso objetivo é prover os benefícios da energia eólica da maneira mais ambientalmente responsável possível", disse Greg Wolf, o presidente da Duke Energy Renewables, numa declaração. "Lamentamos profundamente os impactos em águias-douradas em duas de nossas instalações eólicas."

A American Bird Conservancy, um organização sem fins lucrativos que apoia a proteção aos habitats de aves, disse que o acordo foi um passo positivo para enfrentar as mortes de aves causadas pela indústria eólica, mas que as autoridades federais precisam fazer mais para enfrentar violações de outras companhias.

"Todos os projetos eólicos matarão algumas aves", disse Michael Hutchins, coordenador nacional da campanha de energia eólica respeitadora das aves, na sexta-feira. "Infelizmente, isso é inevitável, mas algumas áreas são piores do que outras, e podemos prever onde estão muitas delas." (Tradução de Celso Paciornik)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.