Divulgação
Divulgação

Moto de uma só roda chega ao mercado em 2015

Monociclo elétrico tem velocidade máxima de 16 quilômetros por hora e é equipado com um sistema eletrônico que ajuda o piloto a manter-se equilibrado

Economia & Negócios,

22 de maio de 2014 | 09h31

SÃO PAULO - Uma moto de uma roda apenas equipada com sistema eletrônico que ajuda o piloto a manter-se em equilíbrio foi lançada nos Estados Unidos.

A empresa Ryno Motors já está recebendo encomendas para fornecer o monociclo etétrico, que chega ao mercado no ano que vem.

O preço previsto nos Estados Unidos é de US$ 5.300, o equivalente a R$ 11,8 mil. O bagageiro custa mais US$ 170, ou R$ 380,00.

A moto de uma roda chamada Ryno lembra o veículo do personagem de quadrinhos Thor, criado por Johnny Hart, um homem das cavernas que usava um veículo de apenas uma roda de pedra e um eixo.

O Ryno é um intrigante avanço em relação a outro veículo lançado como uma revolução no transporte pessoal, o Segway, que ficou famoso quando o então presidente George W. Bush tentou dirigir um deles e quase caiu. Em 2010, o dono da Segway morreu em um acidente com o veículo.

Como o Segway, o Ryno tem um mecanismo de equilibro que compensa o centro de gravidade com movimentos automáticos da roda, impedindo que o motociclista caia.

Versatilidade. O fundador da empresa, Chris Hoffmann, afirma que o Ryno é mais versátil que uma motocicleta comum, podendo passar por um hall de entrada e até entrar em elevadores, por ser elétrico e silencioso.

"Com ele eu posso entrar em um elevador, em um vagão de trem ou metrô e circular em qualquer lugar, como um pedestre", afirmou em entrevista à BBC.

A Ryno tem seus controles eletrônicos e mecânicos no centro de sua única roda de 260 milímetros, que gira em rolamentos e não em torno de um eixo tradicional.

O veículo tem dois motores elétricos para propulsão e equilíbrio, e um par de baterias que podem ser carregadas na tomada.

Acelerômetro. O cérebro da máquina é o seu sistema de balanceamento, que emprega um 'acelerômetro' e um trio de giroscópios de silício minúsculos para monitorar movimento para a frente e para trás, e manipular o sistema de acionamento do motor para manter o ciclo sob o cavaleiro durante a aceleração, cruzeiro, desaceleração e manobras.

O ciclo é controlado pelo movimento do corpo, como no Segway, e não pela torção do acelerador manual como nas motocicletas comuns.

Quando o piloto se inclina para a frente, a moto acelera. Quando ele inclina-se para tráz, ela desacelera até parar.

O guidão tem uma alavanca de auxílio para a posição parar. O sistema de equilíbrio permite inclinação de até 15 graus para frente ou para trás (ré).Colocando mais peso nos pedais da esquerda ou direita o condutor escolhe a direção a seguir.

A velocidade máxima é de apenas 16 quilômetros por hora. O veículo tem um farol de LED, uma mola helicoidal sob o banco para suavizar o passeio e tomada para telefone celular ou outro equipamento eletrônico.

Tudo o que sabemos sobre:
MonocicloMotocicleta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.