Alamy
Alamy

Motorista com carro azul é o mais perigoso no trânsito

Pesquisa traça perfil dos motoristas mais nervosos e mostra os piores horários em termos de risco de prejuízos

15 de agosto de 2013 | 17h37

SÃO PAULO - Se encontrar no trânsito um homem entre 35 e 50 anos dirigindo um BMW azul, cuidado: estatisticamente, ele é o mais raivoso dos motoristas, segundo pesquisa do site de conselhos financeiros VoucherCodesPro.

A pesquisa indicou que motoristas de BMWs são mais irados que os de Land Rovers, Audis e Subarus, entre outros. E os de carros azuis são mais agressivos que os dos carros verdes, prateados ou pretos.

A pesquisa foi feita com o objetivo de esclarecer os motoristas sobre os graves prejuízos que eles podem sofrer se não se prevenirem contra o risco de perder o controle no trânsito, ou enfrentar pela frente alguém incapaz de controlar-se.

Motoristas brigam em São Paulo (27/3/2008): confira as imagens feitas pelo fotógrafo Alex Silva

Piores horários. Foram entrevistados 2.837 motoristas britânicos, e a conclusão foi a de que o pico da raiva no trânsito é sexta-feira depois do trabalho. O segundo horário mais perigoso é segunda de manhã, quando a maioria está a caminho do trabalho.

Quase um terço dos raivosos do trânsito declarou na entrevista que costuma gritar ou proferir palavrões para expressar sua raiva em relação a outros motoristas.

Outros entrevistados admitiram dirigir "de forma irregular" ou fazer "gestos obscenos" quando estão com raiva, e três por cento disseram ter parado para enfrentar motoristas de outros carros com os quais se desentenderam.

Mulher no volante. A pesquisa sugere que mulheres com idade entre 17 e 25 anos de idade são as motoristas menos propensas a se estressar quando estão ao volante.

Os domingos, segundo a pesquisa, são um paraíso para quem pretende dirigir sem correr o risco de enfrentar um motorista com os nervos à flor da pele pela frente.

Entrevistados do sexo masculino disseram que costumam ser vítimas da raiva de outros motoristas em média cinco vezes por mês, enquanto as mulheres disseram que foram vítimas, em média, oito vezes por mês.

Mantenha a calma. Em reportagem da CNBC sobre o assunto, George Charles, responsável pela pesquisa, destacou que os motoristas devem lembrar-se que, por vezes, perder a calma durante a condução pode resultar em graves brigas, assaltos e colisões que causam lesões ou prejuízos mais graves.

"A pesquisa tem aspectos engraçados, mas serve de alerta para o perigo que representa enfrentar o trânsito diariamente", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
Violência no Trânsito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.