Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Motoristas fazem filas para abastecer pela metade do preço

Dia da Liberdade de Impostos marcou o último dos 145 dias trabalhados no ano para pagar tributos

Renée Pereira, O Estado de S.Paulo

26 de maio de 2011 | 00h00

Centenas de motoristas puderam abastecer seus carros e motos ontem pela metade do preço. No total, 19 cidades do País aderiram ao Dia da Liberdade de Impostos, que reduziu em 50% o valor da gasolina. O protesto se estendeu a outros produtos e serviços, como restaurantes. "Nosso objetivo é mostrar o preço verdadeiro do produto aos consumidores", disse o diretor do Instituto Ludwig von Mises, Fernando Chiocca, responsável pela iniciativa em São Paulo.

Na capital paulista, foram oferecidos 6 mil litros de gasolina a R$ 1,31. O volume foi suficiente para abastecer 200 motos e 150 carros. Cada veículo tinha direito a até 30 litros do combustível. Mas as motos só abastecem com 10 litros, diz Chiocca. Isso permite abastecer mais veículos.

A promoção começou às 9h30 e terminou às 14 horas. Nesse período, a vizinhança do posto, na zona oeste, sofreu com o congestionamento provocado pelas filas para comprar gasolina pela metade do preço. Por ser uma quantidade limitada, muita gente não conseguiu abastecer, causando certa confusão.

A data de ontem foi escolhida por ser o último dos 145 dias por ano que o brasileiro trabalha para pagar impostos, segundo dados Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT). Apenas a partir de agora o trabalhador consegue usar o dinheiro para uso próprio, diz Chiocca.

Em Brasília, a manifestação garantiu a um posto a venda de 40 mil litros de gasolina. O litro do combustível foi vendido a R$ 1,63, um desconto de 41% em relação ao que é cobrado quando são incluídos o ICMS, o PIS e a Cide. A venda da gasolina mais barata começou às 7 horas, mas o primeiro carro chegou ao posto, na Asa Norte, ainda na noite de terça-feira. Às 9 da manhã, a fila atingiu seis quilômetros. Cada automóvel poderia abastecer até 20 litros.

Em Porto Alegre, a venda de gasolina pela metade do preço também atraiu centenas de motoristas e provocou filas diante de um posto de combustíveis do bairro Santana. A promoção, realizada pela Associação da Classe Média (Aclame) e do Instituto Liberdade e Instituto de Estudos Empresariais (IEE), comemorou o Dia da Liberdade de Impostos pelo décimo ano consecutivo na capital gaúcha.

A oferta foi limitada a 5 mil litros e a 20 litros por consumidor. "Ao ver a diferença entre os preços, o consumidor constata que os impostos dobram o preço dos combustíveis", destacou o presidente do IEE, Ricardo Gomes. A expectativa dos organizadores do Dia da Liberdade de Impostos é que a percepção da carga tributária leve os brasileiros a se mobilizar para evitar qualquer tentativa de criação ou aumento de impostos, para reduzir as atuais alíquotas e exigir mais e melhores serviços do Estado. / COLABOROU ELDER OGLIARI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.