coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Motorola pretende demitir mais 7 mil

A norte-americana Motorola, líder mundial em sistemas e serviços eletrônicos avançados, anunciou que pretende cortar mais 7 mil postos em suas unidades espalhadas por 45 países. As demissões fazem parte de seu programa de reestruturação, que deverá custar US$ 3,5 bilhões, incluindo os gastos com as dispensas. Dois dias após o estouro do escândalo da WorldCom, a empresa afirmou que segue confiante que atingirá ou superará a meta de vendas de US$ 6,4 bilhões para o segundo trimestre. A empresa declarou que deve registrar lucro no terceiro e quarto trimestres deste ano, e também no ano completo de 2002, quando excluídos itens extraordinários, mas não forneceu mais detalhes sobre os prognósticos. A Motorola segue projetando queda de 5% a 10% em suas vendas em 2002, na comparação com o ano anterior, mas manteve a estimativa de lucrar pelo menos US$ 0,04 por ação em 2002.

Agencia Estado,

27 de junho de 2002 | 09h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.