B3/ Reprodução
B3/ Reprodução

coluna

Luana Ozemela: Melhorar o acesso ao capital entre empresários negros é um imperativo econômico

Moura Dubeux estreia em forte queda na B3

Construtora pernambucana perdeu R$ 42,5 milhões em valor de mercado; ação fechou em queda de 2,63%, a R$ 18,50; foi um desempenho bem pior da média do mercado

Fernanda Guimarães e Matheus Piovesana, O Estado de S.Paulo

14 de fevereiro de 2020 | 04h00

Em sua estreia na B3, a Bolsa brasileira, a construtora pernambucana Moura Dubeux perdeu R$ 42,5 milhões em valor de mercado. A ação fechou em queda de 2,63%, a R$ 18,50. Foi um desempenho bem pior da média do mercado. O Ibovespa – principal índice de ações do Brasil – fechou em queda de 0,87%, aos 115.662 pontos. 

A oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) girou R$ 1,25 bilhão, com ação precificada a R$ 19, centro da faixa indicativa de preço. Foi a terceira estreia de uma empresa na B3 neste ano – e a segunda do setor de construção, após a Mitre.

Dúvida

Segundo a Genial Investimentos, diferentemente do que ocorreu em IPOs recentes, como o da empresa de hospedagem de sites Locaweb, o mercado ficou dividido sobre a companhia por causa de seus indicadores operacionais. “Vi opiniões contraditórias sobre a empresa, algo que não havia visto nos últimos IPOs”, disse o analista Filipe Villegas, da Genial.

Entre os problemas da companhia estão o alto endividamento e os resultados negativos acumulados nos últimos quatro anos. “Mesmo com o destaque na região onde atua, acreditamos que ela terá dificuldades em gerar retorno para o acionista no longo prazo”, disseram Eduardo Guimarães e Felipe Bevilacqua, da Levante Investimentos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.