Alan Santos/PR
Alan Santos/PR

Mourão diz que reforma da Previdência é 'assunto reservado, por enquanto'

Segundo o vice-presidente, Hamilton Mourão, Bolsonaro ainda não decidiu sobre conteúdo e formato da proposta que será enviada ao Congresso

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

25 de janeiro de 2019 | 13h49

BRASÍLIA - Ao voltar do Fórum Econômico Mundial, em Davos, o presidente Jair Bolsonaro se reuniu na manhã desta sexta-feira, 25, com o vice-presidente Hamilton Mourão e com o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. Ao relatar a audiência, Mourão afirmou que a reforma da Previdência é assunto "reservado" por enquanto e que Bolsonaro ainda não bateu o martelo sobre o conteúdo e o formato da proposta a ser apresentada ao Congresso Nacional.

"Assunto reservado, por enquanto", respondeu Mourão, ao ser perguntado sobre as definições do governo em torno da reforma. Ele reforçou que aumentar o tempo de serviço mínimo dos militares e instituir contribuição obrigatória para cadetes das Forças Armadas são assuntos que estão na pauta. "O presidente ainda não decidiu."

Nos últimos dias, após o presidente Jair Bolsonaro e Mourão terem sinalizado que as regras para os militares podem ser alvo de mudanças apenas numa segunda etapa, o ministro da Economia, Paulo Guedes, declarou em Davos que os militares “são patriotas e sabem que têm que liderar pelo exemplo" e que as propostas deveriam ser encaminhadas simultaneamente.

Mourão justificou que a reivindicação do segmento militar de apresentar mudanças apenas em uma segunda etapa se deve a uma facilidade maior de se aprovar um projeto de lei, que exige menos votos do que uma PEC. “A nossa é mais fácil de ser aprovada. De repente é aprovada a dos militares e não é aprovada a dos outros”, declarou o presidente em exercício.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.