Móveis geram reclamações entre consumidores

Terceiro colocado no ranking de reclamações e consultas da Fundação Procon-SP - órgão de defesa do consumidor vinculado à Secretaria de Justiça estadual -, em 2000, o setor de móveis apresenta uma série de problemas. Entrega de produtos com defeitos de fabricação, não-entrega de móveis, entrega de produto fora da data estabelecida, promoções veiculadas em jornais e TV com informações incorretas e falta de peças são os principais queixas registradas pelos consumidores. A técnica da área de produtos do Procon, Maria Cecília Rodrigues, ressalta que todos os problemas do setor são fáceis de resolver, porém existe falta de vontade das empresa em atender o consumidor com qualidade. "A maioria dos casos que atendemos são de soluções rápidas como troca de portas e gavetas de armários, troca de espelhos e entrega não realizada na data prevista. Mas a maioria das empresas não responde as notificações do Procon-SP", explica. De janeiro a dezembro de 2000, O Procon-SP registrou 10.162 consultas e 1.907 reclamações. O atraso na entrega ou a não entrega dos móveis e peças com defeito de fábrica são os problemas que mais incomodam os consumidores paulistanos. Entrega de produtos é a fonte das reclamaçõesMaria Cecília conta que a maioria dos consumidores tentam um acordo amigável com as empresas, mas poucos conseguem sucesso. "As empresas não prestam um atendimento adequado ao consumidor", avalia. A técnica do Procon-SP destaca que se as empresas do setor se empenharem em corrigir as falhas no momento da entrega 90% dos problemas com consumidor serão resolvidos. "Os principais problemas do setor estão ligados à entrega dos produtos.", ressalta.Veja em matéria a seguir orientações do Procon-SP sobre os direitos do consumidor para compra de móveis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.