Ilustração/Gafisa
Ilustração/Gafisa

Movimento para atuar na faixa de entrada

Moov Estação Brás, por R$ 149 mil, e J330 nos Jardins, por R$ 3 milhões, foram extremos de preço da Gafisa em 2017

Heraldo Vaz ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

12 Junho 2018 | 05h00

A estratégia de produzir para o programa Minha Casa Minha Vida entrou nos planos da Gafisa, mais conhecida por imóveis de médio e alto padrão. Neste segmento, foram dois lançamentos em São Paulo: o J330 Jardins, em julho de 2017, e o Upside Pinheiros no primeiro trimestre do ano.

Com 84 apartamentos de 104 a 162 m², que totalizam valor geral de venda de lançamento (VGVL) de R$ 138,7 milhões – R$ 1,65 milhão, em média, cada unidade –, o Upside Pinheiros oferece três e quatro dormitórios nos 21 andares a serem construídos em terreno de 2,4 mil m² na Rua João Moura, zona oeste de São Paulo. “Está 100% vendido”, afirma o diretor de incorporação da Gafisa, Guilherme Carlini, indicando o preço de R$ 14 mil por m². “Três e quatro dormitórios são as tipologias com menos estoque na cidade de São Paulo.” Segundo Carlini, se tivesse lançado no ano passado não teria essa velocidade de vendas. Ele fala de recuperação e vê um cenário melhor. “A inflexão já aconteceu em São Paulo.”

O J330, nos Jardins, é mais caro. “R$ 20 mil por m²”, calcula. “50% já foi vendido.” São 28 apartamentos de três suítes ou quatro quartos, com 133 e 217 m², em torre única de 13 pavimentos. O terreno de 1,34 mil m², na Rua José Maria Lisboa, terá área verde preservada. Com VGVL de R$ 74 milhões, cada unidade custa, na média, R$ 2,65 milhões. “Apesar das incertezas políticas e econômicas que tanto impactaram o setor, principalmente no alto padrão, lançamos esses dois produtos”, argumenta.

Na outra ponta do mercado, a Gafisa lançou o Moov Estação Brás. São duas torres com 542 imóveis, de um quarto (19 m²) e dois dormitórios (35 ou 45 m²), com preço a partir de R$ 149 mil. O mais barato é o imóvel de 19 m². “O maior, de 45 m² sai por R$ 350 mil”, afirma Carlini, ressaltando que “50% das unidades” estão dentro do programa MCMV, cujo teto é RS 240 mil.

Ex-controlada da Gafisa, a Tenda era a empresa do grupo que produzia imóveis populares. “Após a separação, voltamos a estudar terrenos e produtos nesse segmento”, explica o diretor. “Vamos fazer quando houver oportunidade.” O Moov Estação Brás e o J330 Jardins são os extremos da curva de preços dos empreendimentos lançados pela Gafisa, na faixa de R$ 7,8 mil por m² e R$ 20 mil, respectivamente. “É um movimento que a Gafisa fez três anos atrás para atuar no mercado de entrada”, anota Carlini. “Temos equipes de venda divididas entre os segmentos para obter o melhor resultado em cada um.” 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.