Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

MP contesta indenização de R$ 5 bilhões à Varig

O Ministério Público Federal entrou com recurso contra a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que obriga o governo a pagar uma indenização de mais de R$ 5 bilhões à Varig, por um suposto desequilíbrio financeiro do contrato de concessão. O processo da companhia aérea contra o governo remonta ao congelamento das tarifas aéreas entre 1986 e 1991, durante o Plano Cruzeiro. A empresa pede ressarcimento dos prejuízos causados.Segundo informou o site da Procuradoria Geral da República, o MP alegou que o índice utilizado pelo cálculo da indenização não é válido para indicar a tarifa justa do período. O processo questiona a escolha do índice fornecido pelo Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea), e ainda chama a atenção ao fato de que, com o "arrocho tarifário", aumentou em cerca de 3 milhões o número de passageiros por ano, compensando as possíveis perdas. O MP ainda destacou que o congelamento só atingiu vôos domésticos e, na época, os vôos internacionais representavam mais de 70% da receita global da Varig.O primeiro recurso foi negado no STJ, com a alegação de que a contestação do laudo pericial era um fato novo no processo, apresentado fora da época certa. De acordo com a decisão, o ministério tentava reabrir a produção de provas. Mas, na avaliação do subprocurador-geral da República, Aurélio Rios, o MP buscava "demonstrar a insuficiência da perícia realizada, que não considerou diversos aspectos legais e econômicos relevantes para o mercado aeroviário e indispensáveis para a elaboração do laudo". O caso será analisado pelo ministro Castro Meira, relator no recurso no STJ.

Agencia Estado,

30 de maio de 2006 | 15h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.