MP denuncia Schincariol por corrupção e falsificação

O Ministério Público Federal denunciou, nesta quinta-feira, a cervejaria Schincariol pelos crimes de formação de quadrilha, corrupção ativa e passiva e falsificação de documentos. A Procuradoria Geral da República informou, por meio de comunicado, que o procurador de Itaboraí, Leonardo Almeida Cortes de Carvalho, denunciou duas organizações criminosas, integradas por 78 pessoas, entre as quais diretores e ex-diretores da Schincariol. Também foram denunciados donos, funcionários e colaboradores de distribuidoras e fornecedoras de matéria-prima para a Schincariol, além de fiscais da Receita Estadual de Estados como Rio Grande do Norte, Alagoas, Goiás e Rio de Janeiro. Segundo a procuradoria, uma das quadrilhas sonegava imposto na distribuição de produtos da Schincariol. A outra sonegava impostos ao comprar insumos.""O crime de sonegação fiscal não foi incluído neste momento em virtude da jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, que exige o término do procedimento administrativo fiscal, o qual ainda está em curso", afirmou o procurador Carvalho, por meio do comunicado. A denúncia foi fruto de uma investigação que aprendeu material em 12 Estados brasileiros em 15 de junho do ano passado.Empresa não se pronunciaA cervejaria Schincariol informou que só vai se pronunciar publicamente sobre a denúncia de corrupção e formação de quadrilha feita hoje pelo Ministério Público Federal quanto tiver acesso aos laudos do processo. Este texto foi alterado às 18h51 com inclusão de informações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.