MP pede para conselheiro do Cade sair do caso Nestlé

O subprocurador-geral da República Moacir Guimarães Morais Filho pediu hoje ao relator do processo sobre a compra da Garoto pela Nestlé, conselheiro Thompson Andrade, que se declare suspeito e impedido para relatar os recursos contra a decisão do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), que determinou a desconstituição do negócio. Segundo ele, a causa para a suspeição foi o constrangimento provocado pela representação apresentada contra ele pela economista responsável pelo parecer da Nestlé, Elizabeth Maria Mercê Querido. A economista, que foi citada 35 vezes no relatório de Thompson Andrade, argumenta que o relator tratou-a de forma antiética e deselegante. De acordo com o subprocurador, as acusações são gravíssimas podendo ensejar a abertura de um inquérito ou procedimento administrativo.

Agencia Estado,

05 Março 2004 | 18h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.