Sergio Moraes/Reuters
Sergio Moraes/Reuters

MPF investiga Paulo Guedes por suposta fraude contra fundos de pensão

Chamado de Posto Ipiranga pelo presidenciável e indicado como ministro da Fazenda em caso de vitória de Bolsonaro, Paulo Guedes é suspeito de cometer crimes de gestão fraudulenta

Fabio Serapião, O Estado de S.Paulo

10 Outubro 2018 | 10h48

O Ministério Público Federal (MPF) em Brasília abriu Procedimento Investigatório Criminal (PIC) para investigar o economista Paulo Guedes, conselheiro econômico do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL). A informação foi revelada pelo jornal Folha de S.Paulo e confirmada pelo Estado.

Chamado de Posto Ipiranga pelo presidenciável e indicado como ministro da Fazenda em caso de vitória de Bolsonaro, Guedes é suspeito de cometer crimes de gestão fraudulenta e temerária à frente de fundos de investimentos (FIPs) que receberam R$ 1 bilhão, entre 2009 e 2013, de fundos de pensão ligados a empresas públicas. Também será apurada a emissão e negociação de títulos imobiliários sem lastros ou garantias.  

Em nota divulgada por seus advogados nesta quarta, Guedes afirmou que a abertura da apuração é "uma afronta à democracia" cujo principal "objetivo é o de confundir o eleitor".

Entre os fundos de pensão que repassaram valores aos FIPs administrados por Guedes estão a Funcef, da Caixa, Postalis, dos Correios, Previ, do Banco do Brasil e BNDESPar, este fundo de investimento do BNDES. À época dos fatos apurados, os fundos eram geridos por pessoas indicadas pelo PT e PMDB.

A investigação foi aberta com base em relatórios da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) que apontam indícios de fraudes nos aportes feitos pelos fundos de pensão em dois fundos de investimentos criados pela BR Educacional Gestora de Ativos, empresa de Paulo Guedes. A investigação é conduzida pela força-tarefa Greenfield, responsável por apurar desvios nos principais fundos de pensão do País. 

Segundo os relatórios da Previc, os aportes nos FIPs podem ter gerado ganho excessivo a Guedes. Em um dos FIPs, que recebeu cerca de R$ 400 milhões, Guedes ganhou 1,75% sobre o valor aportado pelos fundos de pensão logo após o investimento. 

Esse mesmo FIP, segundo a Previc, aplicou os valores recebidos dos fundos de pensão em uma empresa: a HSM Educacional, que era controlada pelo próprio Guedes.

A Previc também viu indício de irregularidades no fato de a HSM Educacional, logo após receber os valores, ter adquirido de uma empresa argentina 100% da companhia HSM Brasil, voltada a projetos educacionais e palestras. Como não era uma empresa listada na bolsa, o investimento foi feito tendo como base um laudo produzido por outra empresa. 

Mesmo com laudo apontando a viabilidade do investimento, a empresa que recebeu o aporte registrou prejuízo, principalmente, por causa da remuneração de palestrantes. Somente com o pagamento desse tipo de serviço, entre 2011 e 2012, a empresa gastou R$ 11,9 milhões. Na mesma época, Guedes viajou o País realizando palestras. O MPF quer descobrir se ele recebeu parte desses valores. 

Outro lado

A assessoria de Paulo Guedes enviou a seguinte nota:

"O Professor Doutor Paulo Guedes jamais foi 'controlador' ou 'diretor' da HSM, como sugere a matéria. Foi, apenas, membro dos Conselhos de Administração da HSM e Ânima, indicado pelo Fundo BrFip e já está desligado dos Conselhos desde 22 de outubro de 2014.

- A Ânima Educação (Gaec) só passou a ser sócia da HSM em 2013, quando adquiriu sua participação do Fundo citado. No entanto, todas as questões mencionadas na reportagem são relativas a datas anteriores, em período que a HSM possuía como sócios a Geo Eventos e RBS, instituições ligadas às Organizações Globo.

- A HSM possui mais de 30 anos de tradição e tem realizado um trabalho consistente de educação para as lideranças brasileiras, por meio de eventos, soluções digitais e programas de educação corporativa in company. 

- A HSM promove a Expo, o maior evento de educação corporativa da América Latina, trazendo para nosso país os melhores pensadores e personalidades do planeta, tais como: Steve Wozniak , Ram Charan, Al Gore, Paul Krugman, Michael Phelps,  Tom Peters, Salim Ismail, Peter Diamandis, JB Straubel, Jack Welch, Philip Kotler, Jim Collins, Malcolm Gladwell, William Ury, Thomas Friedman, além de outras tantas centenas de personalidades que se destacaram em nossos afamados eventos.

- Todas as palestras dos eventos promovidos pela HSM são divulgadas de forma ampla e pública, sendo contratadas em consonância com parâmetros adotados pelos referidos palestrantes em nível internacional.

- Quanto aos investimentos feitos pelo Fundo BrFip na Ânima, é importante informar que, ao contrário do que se insinua,  os investimentos do Fundo  tiveram valorização superior a 300%, com enorme proveito para todos os cotistas e fundos de pensão, além de contribuir para a melhoria do ensino superior em nosso país."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.