MPF vai insistir em anular leilão dos trechos do PR

O Ministério Público Federal (MPF) vai insistir na anulação do leilão realizado ontem, na Bolsa de Valores de São Paulo, em relação às rodovias que passam pelo Paraná. Os três trechos foram vencidos pela espanhola OHL. A liminar conseguida pelo MPF em primeira instância, que suspendia o leilão, foi derrubada no fim da manhã pela desembargadora Silvia Goraieb, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região.''''Haverá recurso à Corte Especial do TRF para ver se conseguimos derrubar a suspensão da liminar'''', disse o procurador regional Elton Venturi. ''''E ainda cabe recurso ao Superior Tribunal de Justiça e ao Supremo Tribunal Federal.'''' Ele afirmou que, ao propor a ação, o MPF já sabia que, mesmo ganhando em primeira instância, ''''dificilmente se sustentaria''''. ''''A força política é muito grande'''', acentuou. Segundo ele, o leilão é apenas uma etapa do processo de concessão, que não se encerra nele.Para Venturi, o maior problema é a não existência de projetos de obras estruturais. ''''É fácil apresentar um preço de tarifa para vencer o leilão, porque as concessionárias sabem que em dois, três ou quatro anos, haverá necessidade de obras não previstas, aí ela vai dizer que fará desde que haja o equilíbrio econômico-financeiro do contrato. Esse é o pulo do gato.'''' Segundo ele, o MPF não é contra o pedágio, mas questiona como está sendo feita a concessão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.