MS e PR poderão voltar a exportar frango para a Rússia

Os Estados de Mato Grosso do Sul e Paraná poderão retomar, em breve, as vendas de frango para o mercado russo. Foi isso o que afirmou o vice-diretor do Serviço Federal de Supervisão Veterinária e Fitossanitária da Rússia, Evgueni Nepoklonov, por meio de correspondência enviada ao secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Gabriel Alves Maciel. O comércio do produto está suspenso desde outubro do ano passado, em virtude da ocorrência de focos de febre aftosa nos dois Estados. Na correspondência, o vice-diretor explicou que o país concorda em excluir dos certificados sanitários para carnes de aves às garantias relativas às enfermidades, como peste suína africana e febre aftosa, que afetam outra espécies. A aftosa é uma doença de animais com casco partido, ou seja, bovinos, bubalinos e caprinos, por isso, não é transmissível ao frango. Adequações De acordo com o material distribuído pelo Ministério da Agricultura, as autoridades russas também sinalizaram para outras adequações no que se refere ao novo certificado. Na última quinta-feira, técnicos do Departamento de Saúde Animal do ministério reuniram-se para definir a proposta de certificação brasileira. Segundo o diretor do departamento, Jorge Caetano Júnior, o documento deve estar pronto nesta sexta e será encaminhado para análise das autoridades russas. Com a aprovação do novo certificado, Paraná e Mato Grosso do Sul estarão aptos a retomar o comércio de carne de frango com a Rússia. No ano passado, Mato Grosso do sul exportou cerca de 4,8 mil toneladas de carne frango in natura para aquele mercado, que renderam receita cambial de US$ 6,3 milhões. O Paraná embarcou no período 102,2 mil toneladas para aquele destino, com faturamento de US$ 184,8 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.