MS e PR poderão voltar a exportar frango para a Rússia

Os Estados de Mato Grosso do Sul e Paraná poderão retomar, em breve, as vendas de frango para o mercado russo. Foi isso o que afirmou o vice-diretor do Serviço Federal de Supervisão Veterinária e Fitossanitária da Rússia, Evgueni Nepoklonov, por meio de correspondência enviada ao secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Gabriel Alves Maciel.O comércio do produto está suspenso desde outubro do ano passado, em virtude da ocorrência de focos de febre aftosa nos dois Estados. Na correspondência, o vice-diretor explicou que o país concorda em excluir dos certificados sanitários para carnes de aves às garantias relativas às enfermidades, como peste suína africana e febre aftosa, que afetam outra espécies. A aftosa é uma doença de animais com casco partido, ou seja, bovinos, bubalinos e caprinos, por isso, não é transmissível ao frango.AdequaçõesDe acordo com o material distribuído pelo Ministério da Agricultura, as autoridades russas também sinalizaram para outras adequações no que se refere ao novo certificado. Na última quinta-feira, técnicos do Departamento de Saúde Animal do ministério reuniram-se para definir a proposta de certificação brasileira. Segundo o diretor do departamento, Jorge Caetano Júnior, o documento deve estar pronto nesta sexta e será encaminhado para análise das autoridades russas.Com a aprovação do novo certificado, Paraná e Mato Grosso do Sul estarão aptos a retomar o comércio de carne de frango com a Rússia. No ano passado, Mato Grosso do sul exportou cerca de 4,8 mil toneladas de carne frango in natura para aquele mercado, que renderam receita cambial de US$ 6,3 milhões. O Paraná embarcou no período 102,2 mil toneladas para aquele destino, com faturamento de US$ 184,8 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.