MT retoma vistoria contra aftosa na fronteira com Bolívia

Os técnicos da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) e do Fundo Emergencial de Febre Aftosa (Fefa) retomam nesta segunda-feira o processo de alerta aos pecuaristas na fronteira do Estado com a Bolívia. Desta vez, os representantes do setor visitarão fazendas em Comodoro (644 quilômetros de Cuiabá) e na Ponta do Aterro (500 quilômetros de Cuiabá). Na semana passada, os técnicos da Famato e do Fefa visitaram pecuaristas de Porto Esperidião, Mirassol DOeste, Cáceres, Vila Bela da Santíssima Trindade, Pontes e Lacerda, Araputanga e São José dos Quatro Marcos.Para o presidente do fundo, Zeca de Ávila, a situação é satisfatória em relação ao processo de imunização e fiscalização. São dez barreiras fixas e quatro móveis na região que tem 780 quilômetros de fronteira seca com a Bolívia. "A mim não surpreendeu. O produtor está cumprindo o seu papel, está vacinando. Consciente da sua responsabilidade, da gravidade do problema e consciente que precisa trabalhar e ajudar a divulgar e fiscalizar."Segundo Ávila, apesar do empenho mato-grossense, a exigência da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) de implantação de um programa de erradicação da febre aftosa que envolva Brasil, Paraguai, Uruguai e Argentina torna ainda mais difícil o processo de reabilitação do Estado como área livre de febre aftosa com vacinação. O status foi suspenso em outubro de 2005 em função dos focos registrados no Mato Grosso do Sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.