MT traça plano para conscientizar pecuaristas sobre aftosa

A partir da próxima segunda-feira, a Federação de Agricultura e Pecuária do Mato Grosso (Famato) começa a colocar em prática seu plano de ação para conscientizar os pecuaristas na região de fronteira com a Bolívia sobre os riscos da entrada da febre aftosa no Brasil. A idéia é que técnicos da entidade visitem os municípios que fazem divisa com o país e levem informações sobre os cuidados a serem tomados.Os municípios a serem visitados são: Cáceres, Mirassol D´Oeste, Porto Esperidião, Vila Bela da Santíssima Trindade, Pontes e Lacerda, Araputanga, São José dos Quatro Marcos, Jauru e Comodoro. O roteiro foi apresentado na reunião entre representantes da Famato e do Ministério da Agricultura, realizada na quinta-feira. O encontro também serviu para definir uma ação conjunta do governo e de representantes da iniciativa privada dos Estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Acre e Rondônia. A estratégia do plano emergencial é ampliar o número de barreiras fixas e móveis e de fiscais agropecuários na região, além de reforçar as ações de fiscalização já realizadas na área de fronteira entre os dois países desenvolvidas Ministério da Agricultura, o Instituto de Defesa Agropecuária (Indea), o Fundo Emergencial da Febre Aftosa (Fefa) e a Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato).O Mato Grosso é considerado o Estado mais vulnerável à possível entrada de animais contaminados da Bolívia, devido sua extensa fronteira seca. Segundo o superintendente Federal de Agricultura em Mato Grosso, Paulo Bilego, aproximadamente 30 fiscais federais de Brasília, especializados em sanidade animal já estão em Cuiabá preparados para ir a campo. Além da unidade regional de fiscalização do ministério em Cáceres (225 km de Cuiabá), outros 10 postos fixos, dois postos ambulantes e oito equipes de vigilância serão implantados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.