Múcio: governo avaliará aumento de produção de insumo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva determinou aos ministros da Casa Civil, Dilma Roussef, e de Minas e Energia, Edison Lobão, que analisem com as diretorias da Petrobras e da Vale a possibilidade de elevarem, no curto prazo, a produção de insumos destinados à produção de fertilizantes, de modo a reduzir a dependência brasileira das importações de adubos. A determinação foi dada na primeira parte da reunião ministerial que ocorre hoje no Palácio do Planalto, dedicada à análise da conjuntura econômica, segundo relato do ministro das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro.De acordo com Múcio, diante da constatação de que a alta dos alimentos, tanto internacional quanto internamente, é um dos principais fatores da pressão inflacionária no Brasil, os ministros do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, e da Agricultura, Reinhold Stephanes, afirmaram na reunião que o maior entrave à elevação da produção agrícola brasileira, seja no agronegócio ou na agricultura familiar, está na elevação dos preços dos fertilizantes e na dependência brasileira das importações.Stephanes informou que os fertilizantes dobraram de preço na atual safra agrícola e que o Brasil importa 75% dos fertilizantes que consome. Ele destacou ainda que quatro grandes grupos dominam o controle da produção mundial.Colocado tal quadro, o presidente da República orientou, então, os ministros Dilma Roussef e Edison Lobão a promoverem encontros com os dirigentes da Petrobras e da Vale para que se analise a possibilidade de usarem as reservas que exploram para ampliar a oferta de insumos na produção de fertilizantes no curto prazo. Conforme o ministro das Relações Institucionais, o governo pretende, no longo prazo, elevar a oferta interna para que o Brasil produza 80% dos adubos que consome. "É preciso aumentar a produção agrícola brasileira e ao mesmo tempo reduzir custos", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.