Mudança em jornada terá discussão, diz Carvalho

O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, comentou nesta sexta-feira, 23, durante entrevista concedida depois de participar da Arena Participação Social no Palácio do Planalto, sobre a discussão em torno da modificação da lei trabalhista que pretende reduzir a jornada de trabalhadores que fazem horários alternativos.

TÂNIA MONTEIRO, Agencia Estado

23 de maio de 2014 | 14h17

Carvalho assegurou que essa mudança "não será feita de cima para baixo". "Essa proposta, como todas as propostas que implicam mudanças na legislação trabalhista, não será feita, a presidente Dilma deixou bem claro isso, de cima para baixo pelo governo", disse. "A presidente informou que nós vamos coordenar com o Ministério do Trabalho um processo de discussão com o movimento sindical, com os setores patronais, para ver a oportunidade de termos uma lei nesse sentido, mas é preciso passar ainda por um crivo tradicional, que é o crivo da consulta", acrescentou.

Gilberto Carvalho ressaltou que, no entanto, na construção civil existe "mais amadurecida" uma discussão quanto à jornada de trabalho, mas nesse caso é sobre a ampliação do número de horas extras dos trabalhadores que se encontram em canteiros de obras distantes de suas residências. Segundo o ministro, há um interesse principalmente dos trabalhadores de aumentar sua carga de trabalho para ganhar um pouco mais. "Isso também estamos discutindo, já está muito mais maduro que o outro ponto (a redução da jornada para trabalhadores com horários alternativos), mas também será feito com acordo."

Tudo o que sabemos sobre:
trabalhojornadaGilberto Carvalho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.