Mudança regulatória não é resposta à crise, diz Tesouro do EUA

O secretário do Tesouronorte-americano, Henry Paulson, afirmou nesta segunda-feira quea proposta de uma ampla reforma da estrutura regulatória dosistema financeiro do país não foi pensada como uma resposta àsrecentes turbulências do mercado e não deveria ser implementadaaté que as dificuldades sejam resolvidas. As regras propostas colocariam muito mais poder nas mãos doFederal Reserve para supervisionar a estabilidade do mercado eos riscos sistêmicos de instituições que não recebem depósitos,como bancos de investimento, hedge funds e seguradoras. No cenário ideal do Tesouro, o Fed seria o regulador daestabilidade do mercado e abriria mão de seu papel tradicionalde supervisão dos bancos, ao passo que várias agênciasregulatórias do setor bancário seriam combinadas em um únicoórgão consultivo. "Com essa tarefa de regulador da estabilidade do mercado, oFed seria capaz de avaliar a liquidez e as margens praticadasno sistema financeiro, além do potencial impacto sobre aestabilidade financeira geral", disse Paulson. "O Fed teria autoridade para ir a qualquer lugar do sistemaque achar necessário, para ter uma visão mais profunda epreservar a estabilidade." Paulson disse que está propondo um modelo que seja maisflexível, adaptável a mudanças e que permita às autoridadeslidar com futuros problemas. "Alguns podem ver essas recomendações como uma resposta àscircunstâncias atuais, mas não é esse o objetivo", afirmou. "Essa proposta trata de questões complexas e de longo prazoque não deveriam ser definidas no meio de situações deestresse." (Por David Lawder)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.