Divulgação/ iFood
Divulgação/ iFood
Conteúdo Patrocinado

Mudanças de hábito e de matéria-prima geram menos resíduos no delivery

iFood tem 50 milhões de pedidos sem talheres plásticos e se prepara para oferecer opção sem canudo e sachês; empresa já trabalha com embalagens sustentáveis e apoia ações de reciclagem

iFood, Estadão Blue Studio
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

02 de dezembro de 2021 | 08h00

O crescimento do número de pedidos de comida por delivery despertou nos consumidores a preocupação com a quantidade de lixo gerada a cada refeição. Afinal, o que fazer com as embalagens e os itens recebidos? Em busca dessa resposta, e comprometido em zerar o uso de plásticos no delivery até 2025, o iFood promove iniciativas que incentivam não só a redução e a reciclagem, mas também o uso de embalagens sustentáveis.

Ao fazer um pedido, muitas vezes o cliente recebe itens que nem sequer utiliza. No iFood, já é possível receber a refeição sem talheres plásticos. No aplicativo, com apenas um toque, o cliente decide se quer uma entrega assim – e mais de 90% fazem essa escolha quando a opção é disponibilizada pelo restaurante. “É importante mandar para a casa das pessoas o que é essencial, e os itens que utilizamos de forma menos inteligente são os plásticos de uso único. Eles são feitos de uma matéria-prima que demora a se degradar e que se usa uma vez só e joga fora”, diz André Borges, head de Soluções Sustentáveis.

Com essa pequena mudança de hábito dos clientes, até agora já são mais de 50 milhões de pedidos sem talheres plásticos. Nos próximos meses, o iFood vai ampliar essa opção para pedidos sem canudo e sachês. “Essa é uma solução simples que consegue movimentar a cadeia inteira. Se o cliente para de pedir, o restaurante precisa comprar menos”, comenta Borges.

Além de reduzir o consumo de plástico e, em consequência, os impactos ambientais, reciclar é uma alternativa que também beneficia projetos de cooperativas. O iFood já tem mais de cem pontos de descarte voluntário de resíduos recicláveis (PEVS) em São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Distrito Federal. A reciclagem – os PEVS têm capacidade de destinar 400 toneladas ao mês às cooperativas – garante que esses resíduos não vão parar em lixões, aterros ou oceanos. Por meio do Recicla Bot iFood, um sistema de inteligência artificial via Whatsapp, é possível saber para onde destinar os resíduos e como reciclar da forma correta.

Além de diminuir o uso de plásticos, o iFood também incentiva a utlização de embalagens mais sustentáveis. Por meio do iFood Shop, restaurantes parceiros podem adquirir produtos feitos de matérias-primas menos agressivas ao meio ambiente, como a mandioca. Só em 2020, o iFood vendeu mais de 300 mil embalagens sustentáveis e, em apenas cinco meses, já triplicou a quantidade de fornecedores desse tipo de produto. A missão do iFood é alimentar o futuro do mundo – e isso passa também por um compromisso com o meio ambiente e a sustentabilidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.