Mudanças na aposentadoria provocam indecisão

Devido à mudança no cálculo da aposentadoria e a aplicação do fator previdenciário, muitos segurados, ao atingirem os requisitos para entrar com o pedido no INSS - mínimo de 30 anos de contribuição e 53 anos de idade, homem; e 25 anos de contribuição e 48 anos de idade, mulher - ficam indecisos. O atuário Newton César Conde diz que, com o novo critério de cálculo, cada caso deve ser analisado isoladamente, mas existem alguns preceitos que podem ajudar o segurado a decidir-se:Se o salário de contribuição é decrescente, convém entrar com o pedido, porque a média do salário de contribuição tende a ficar acima da sua remuneração atual. Os salários antigos tendem a elevar a média. Se o seu salário é crescente, a média do salário de contribuição tende a ficar abaixo da sua remuneração. Nesse caso, se possível, convém adiar o pedido para obter um benefício maior.Deve-se levar em conta a fase em que está o fator de transiçãoSe durante a transição - já que o fator previdenciário só será aplicado integralmente em dezembro de 2004 -, o fator do segurado ficar abaixo de 1 na tabela da Previdência, convém entrar com o pedido. Como o fator incide 1/60 sobre a média dos salários de contribuição, a tendência é a de fator diminuir, reduzindo o benefício, mesmo com o avanço da idade e aumento do tempo de contribuição do segurado.Se durante a fase de transição, o fator previdenciário do segurado ficar acima de 1 na tabela, convém adiar o pedido. Nesse caso, a incidência de 1/60 por mês puxa o fator para baixo. Com o fim da fase de transição, o fator acima de 1 será aplicado integralmente, proporcionando um benefício maior.Se o segurado recebe o piso (salário mínimo), mesmo deixando para entrar com o pedido mais tarde, corre o risco de receber sempre o mesmo valor. Nesse caso, convém levar em consideração a idade e a possibilidade de vir receber a um salário maior, para elevar a média. Em geral, é melhor antecipar a solicitação. Como o benefício será pago antecipadamente, o dinheiro resgatado antes dificilmente será recuperado, caso o segurado deixe para entrar com o pedido mais tarde.Se o segurado ganha próximo do teto de benefício (R$ 1.328,25), convém entrar antes com o pedido. Isso porque, com a incidência de 1/60 a cada mês, o fator de transição tende a diminuir. Assim, poderá receber um benefício menor lá na frente. Para Conde, o segurado nunca deve entrar com o pedido da aposentadoria proporcional. "A aplicação do porcentual de benefício, que começa em 70% e sobe cinco pontos porcentuais por ano a mais de trabalho, sobre o valor já achatado pelo fator tende a reduzir a renda substancialmente".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.