Mudanças no mercado de dólar agradam analistas

As decisões para o mercado de câmbio anunciadas no final da tarde de hoje pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que antes de serem anunciadas geraram as mais diversas especulações, foram bem recebidas pelo mercado financeiro. "As medidas tornam o mercado mais livre, diminuem o risco Brasil (taxa que mede a desconfiança do investidor estrangeiro em relação à capacidade de pagamento da dívida do País) e tornam as atividades financeiras do País mais próximas dos padrões observados em mercados desenvolvidos", comenta o diretor executivo da Quantix Investimentos, Marco Antonio Sudano. Basicamente, as medidas referem-se à unificação da legislação cambial para os mercados de câmbio flutuante (turismo) e do chamado câmbio livre (comercial). As taxas destes dois mercados foram unificadas desde 1999, mas até então não haviam unificado suas legislações. Ou seja, em tese o BC poderia em uma canetada alterar essa legislação, por exemplo no caso de uma crise cambial, e colocar a taxa do câmbio oficial no patamar que lhe conviesse de maneira discricionária. "Essas medidas são bastante positivas. Significam mais um passo para liberalizar a conta de capital no País, simplifica o mercado de câmbio e acaba com o spread (prêmio) existente entre a taxa flutuante e comercial", comenta o sócio executivo do Pátria Hedge Funds, Luís Fernando Lopes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.