Mudanças profundas

Mudanças profundas

Entidades mais representativas do setor de seguros passam por um momento de troca no comando

Antonio Penteado Mendonça, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2010 | 00h00

O setor de seguros passa por mudanças profundas. Não só porque a classe C já se transformou em consumidora de seus produtos e as classes D e E estão na bica de receber o microsseguro, aquecendo o faturamento das seguradoras, mas principalmente porque acontecem algumas mudanças importantes no comando da Susep, da CNSeg (Confederação Nacional das Seguradoras) e no Sindicato dos Corretores de Seguros de São Paulo.

Ao longo dos últimos anos a Susep (Superintendência de Seguros Privados) mudou de cara. Alvo de um intenso processo de modernização, a autarquia se profissionalizou e passou a atuar com competência dentro de suas atribuições legais.

Este processo ainda está em curso, tanto que há pouco tempo ela realizou mais um concurso para a contratação de mão de obra qualificada para a gestão da autarquia em sua função de xerife do mercado.

Para fazer justiça, esta história deve retroagir para meados da década de 1980, quando a SUSEP, graças à ação de dois homens com visão que decidiram que era o momento do então Instituto de Resseguros do Brasil passar a ser o grande garantidor de capacidade para as seguradoras, enquanto a Susep, à época um órgão secundário, deveria assumir suas atribuições legais. Com Jorge Hilário Gouveia Vieira na presidente do IRB, e João Regis Ricardo dos Santos na SUSEP o setor assistiu ao fim das tarifas únicas e aos primeiros movimentos que trouxeram o mercado para seu patamar atual, saltando de menos de 1% de participação no PIB para expressivos 3,5%.

Os três últimos superintendentes também se destacam. Helio Portocarrero, Rene Garcia e Armando Vergílio contribuíram bastante para a profissionalização e eficiência operacional da Susep.

Armando Vergílio está deixando o cargo depois de conseguir, entre outras coisas, mudar a sede da autarquia e equipá-la com a mão de obra e o ferramental necessários para a preservação de um mercado aberto, com seguradoras e resseguradoras nacionais e internacionais interagindo de forma harmoniosa e segura para os consumidores.

De outro lado, o presidente da CNSeg, João Elisio Ferraz de Campos, também está deixando o cargo. Em um longo período, primeiro à frente da FENASEG (Federação das Seguradoras) e depois à frente da CNSeg, João Elisio fez pela atividade bem mais do que qualquer antecessor. Seus dois grandes méritos foram, primeiro, saber compor as diferentes forças e anseios das seguradoras e, segundo, dar visibilidade política a um setor que até poucos anos atrás era um ilustre desconhecido entre as forças econômicas da nação.

Por um destes movimentos do destino, seu sucessor é justamente Jorge Hilário Gouveia Vieira, que lá atrás foi um dos responsáveis pela abertura e modernização da atividade.

Finalmente, o SINCOR/SP, o mais importante de todos os sindicatos de corretores de seguros do país, também passa por mudança, com a saída de Leoncio de Arruda de sua presidência.

A nova realidade terá repercussões em todos os campos da atividade seguradora. E elas ocorrem num momento de mercado aquecido, com a retomada econômica nacional impulsionando o setor.

A demanda por seguros dos mais variados tipos está forçando o desenvolvimento de novos produtos, bem como consolidando as linhas de negócios já existentes.

Com a redução do porcentual de resseguro obrigatoriamente oferecido às resseguradoras locais, é de se esperar um aquecimento na concorrência, o que, no médio prazo, deve levar ao surgimento de produtos mais modernos, capazes de garantir não apenas o patrimônio nacional, mas a operação de setores fundamentais para o desenvolvimento sustentável do Brasil, como o agronegócio e as micro e pequenas empresas.

Diante de quadro tão favorável, só me resta expressar minha admiração e agradecer aos que deixam seus cargos pela dedicação e pelas importantes contribuições para o aperfeiçoamento da atividade seguradora. E aos que chegam para substituí-los, sejam bem vindos e muito sucesso em suas funções!

É ADVOGADO, PROFESSOR DA FIA-FEA/USP E DO PEC DA FGV. E-MAIL: ADVOCACIA@PENTEADOMENDONCA.COM.BR

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.