Mulher é oportunidade para empresa digital

Depois de investir no Brasil e na América Latina, o Bolsa de Mulher, grupo de mídia digital voltado exclusivamente para o público feminino, prepara-se para entrar no mercado americano, em 2011. Cacife, ela tem. A empresa é controlada pela Ideiasnet, companhia da área de tecnologia da informação que conta, entre seus principais acionistas, com o empresário Eike Batista, do grupo EBX, e gerou receitas líquidas de R$ 840 milhões em 2009.

Clayton Netz, O Estado de S.Paulo

23 de abril de 2010 | 00h00

O Bolsa de Mulher está de olho nas 10 milhões de internautas hispânicas que vivem nos EUA. A empresa já tem um escritório instalado em Nova York para traçar as estratégias para fincar os pés em solo americano. "Vamos entrar nos Estados Unidos com um novo produto ou por meio da aquisição de uma empresa local", diz Andiara Petterle, CEO do Bolsa de Mulher.

A aposta nas mulheres vem do potencial de consumo desse público. Segundo pesquisa da consultoria Boston Consulting Group, o mercado feminino movimenta US$ 23 trilhões no mundo, volume três vezes maior que as economias da China e Índia juntas. "O mercado feminino ainda é muito mal aproveitado pelas empresas", diz Andiara. Sua empresa, que contava com 150 mil leitoras em 2006, no primeiro ano de funcionamento, hoje tem 12,2 milhões de seguidoras e detém 25% do market share no segmento feminino online. "Isso é oito vezes maior que o número de assinantes de revistas femininas no País e o dobro dos clientes de TVs a cabo", diz.

O Bolsa de Mulher tem em seu portfólio 16 sites, que oferecem conteúdos ligados à moda, gastronomia, maternidade, astrologia, finanças pessoais, espiritualidade, bem-estar e saúde, entre outros temas - além de serviços como cursos gratuitos, redes sociais, comércio eletrônico e pesquisas. Para atender as leitoras latinas, a empresa oferece a versão Bolsa de Mujer, que atende internautas argentinas, chilenas e mexicanas.

O Bolsa de Mulher faturou R$ 14 milhões no ano passado e espera dobrar esse valor este ano. "Vamos fazer aquisições e criar novos produtos este ano", diz Andiara.

RECEITA

R$ 63 bi

foi o quanto 1.643 marcas de

franquias faturaram no País em 2009, de acordo com a ABF,

a entidade do setor.

AQUISIÇÃO

Brasfanta compra a centenária Locomotiva

Por R$ 43 milhões, o grupo Brasfanta, de São Paulo, comprou o passe da Locomotiva, a centenária fábrica de lonas da Alpargatas. Com faturamento esperado de R$ 800 milhões em 2010, o Brasfanta é dirigido pela empresária de origem taiwanesa Ya Ping Chang, filha do fundador Chang Sheng Kai, e tem em seu portfólio empresas como a FLC Plásticos, vice-líder do mercado de laminados e filmes de PVC, a fábrica de sucos WOW!, em sociedade com a King Car Foods, de Taiwan, e a Gold Nutrition, do setor de alimentos. No passado, o grupo foi dono da fábrica de fraldas Kenko, vendida para a Kimberly-Clark em 1996.

EXPORTAÇÃO

Paranaense Angelus vai reforçar presença lá fora

A empresa paranaense Angelus, especializada em produtos odontológicos, planeja multiplicar seu atual faturamento anual por cinco até 2013: de cerca de R$ 12 milhões no ano passado, a empresa estima chegar a R$ 60 milhões, com a aposta principal no mercado de próteses de fibra de carbono dos Estados Unidos e Ásia. Segundo o fundador da Angelus, o dentista Roberto Alcântara, os investimentos em pesquisa e desenvolvimento, estimados em R$ 6 milhões nesse período, vão garantir a competitividade nos mercados estrangeiros. A Angelus, sediada em Londrina, no norte do Estado, tem oito patentes registradas e 30% de sua produção é exportada. "Essa participação do mercado externo tende a aumentar em pelo menos 10 pontos porcentuais", afirma Alcântara.

PIRATARIA

Palmito terá selo de qualidade

Os produtores de palmito sofrem com uma praga de difícil controle: os comerciantes ilegais. Os piratas respondem por 80% do mercado, que movimenta R$ 1,5 bilhão por ano, e sobrevivem da venda ilegal, especialmente da espécie juçara, em extinção. Para enfrentar essa realidade, os 20% dos produtores que trabalham na legalidade resolveram reagir. A partir daí, surgiu o projeto Palmito Seguro. A principal bandeira do grupo, formado por especialistas e acadêmicos, é criar um selo de qualidade, nos moldes do da Abic (Associação Brasileira da Indústria do Café), que credencia as marcas vendidas no varejo. A ideia é de que o selo comece a ser impresso nas embalagens de palmito até o final do ano. "Há uma resistência do consumidor em comprar palmito, justamente por não saber da sua origem", diz Khalil Yepes Hojeije, controlador da Palmito Floresta, de Juquiá (SP).

LOGÍSTICA

Mammoet-Irga investe de olho na área energética

Atenta ao reaquecimento do setor de transportes, principalmente a partir do segundo semestre deste ano, a transportadora especializada em cargas pesadas e superpesadas Mammoet-Irga (Mib), joint venture entre o grupo brasileiro Irga e a holandesa Mammoet, adquiriu 48 linhas de eixo da fabricante francesa Nicolas, num investimento equivalente a R$ 8 milhões. O equipamento permite à empresa formar o maior veículo de cargas em operação na América do Sul, com capacidade para movimentar componentes de uma plataforma petrolífera que chegam a 2 mil toneladas. Segundo Dasio Silva Júnior, diretor de negócios da Mib, os novos projetos de expansão da área energética, como reformas de refinarias e o pré-sal, devem ser responsáveis por um aumento de mais 10% no faturamento da empresa neste ano. Em 2009, a Mib faturou R$ 160 milhões. "Para 2011, estamos prevendo vendas de R$ 250 milhões, o que representa mais de 50% de crescimento em relação ao ano passado", afirma Silva Júnior.

TELEFONIA

Estoque de celulares cresce 14,4 milhões em 7 meses

Nos últimos sete meses, as adições líquidas de telefones celulares (diferença entre as novas linhas habilitadas e as desativadas) chegaram a 14,4 milhões de linhas no Brasil - mais de 2 milhões a cada 30 dias. A Vivo, que vem se mantendo na liderança do setor nesse período, encabeça a lista das empresas que mais cresceram, com 5,5 milhões de aparelhos, seguida pela Claro, com 4 milhões, e pela TIM, com 2,9 milhões. Quem menos cresceu foi a Oi, com 1,9 milhão. Em março, o País atingiu a marca de 179,1 milhões de celulares em atividade.

IMÓVEIS

Portugueses investem em resort na praia de Pipa

O grupo português Béltico vai investir 7 milhões na construção de um resort na praia de Pipa, uma das mais badaladas do Rio Grande do Norte. Com inauguração prevista para 2011, o Resort Praia do Amor contará com 35 bangalôs construídos acima do solo para minimizar o impacto na vegetação. Em Portugal, o grupo administra o Praia D"El Rey Golf & Beach Resort, nas proximidades de Peniche, no oeste do país.

EMPREGOS

598 mil

será o número de trabalhadores terceirizados em empresas

prestadoras de serviços de

telecomunicações no final de 2010, segundo o Sinstal, o sindicato

nacional do setor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.