Multa encerra processo contra corretoras nos EUA

As autoridades reguladoras do mercado financeiro dos EUA fecharam um acordo de US$ 1,4 bilhão com grandes corretoras para encerrar as investigações sobre erros de analistas. As corretoras não estão admitindo nem negando as acusações de sobrevalorização de ações em favor de clientes de bancos de investimentos.As empresas vão pagar US$ 487,5 milhões em penalidades aos reguladores, devolver US$ 387,5 milhões em ganhos considerados irregulares e promover alterações sob acordos com os auto-reguladores federais, estaduais e setoriais, inclusive com a bolsa de Nova York.Os investidores vão ganhar cinco anos de pesquisa independente promovida por terceiros, segundo o acordo, custando a Wall Street US$ 432,5 milhões. Fazem parte do acordo o Bear Stearns., Credit Suisse First Boston Goldman Sachs, Lehman Brothers, J.P. Morgan, Merrill Lynch, Morgan Stanley, Salomon Smith Barney, UBS Warburg LLC e Piper Jaffray. Foram levantadas alegações de fraude contra o CSFB, Merrill Lynch e Salomon Smith Barney.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.