André Lessa/Estadão
André Lessa/Estadão

Multa por comercial enganoso é paga em carros

Grupo Caoa/Hyundai fez acordo com MP para doar 27 veículos a entidades filantrópicas, no valor de R$ 1,6 milhão

Cleide Silva, O Estado de S.Paulo

28 de agosto de 2015 | 02h03

O grupo Caoa/Hyundai vai doar 27 unidades do comercial leve HR a entidades filantrópicas, num valor equivalente a R$ 1,6 milhão. A doação faz parte de acordo feito com o Ministério Público de São Paulo como indenização por danos morais causados à sociedade em razão de publicidade considerada enganosa veiculada pela empresa ao longo dos últimos anos.

Em Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta (TAC), a Caoa e a agência de publicidade Z+ Comunicação, responsável pelas campanhas do grupo, se comprometeram também a não veicular mais qualquer tipo de propaganda enganosa "ainda que parcialmente, que possa induzir em erro o consumidor na hora da aquisição de produtos ou serviços".

O Ministério fixou multa de R$ 100 mil para cada ato de descumprimento do acordo. O órgão explica que o TAC foi firmado em decorrência do Inquérito Civil instaurado em 2011 pela Promotoria de Justiça do Consumidor da Capital, com base em decisões do Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar).

O Conar julgou diversas denúncias contra a marca desde 2000. Em 2010, chegou a publicar um edital na imprensa sobre o comportamento repetitivo da empresa, que insistia em manter campanhas similares àquelas suspensas pelo órgão. Segundo o Conar, essa tipo de edital é muito raro.

No Termo de Compromisso, o Ministério Público lista 65 campanhas consideradas enganosas, 15 delas envolvendo o modelo Tucson e 11 a marca Hyundai.

Em uma delas, a peça publicitária cita que a "Hyundai passa a Ford e já é a quarta maior fabricante de automóveis do mundo". Divulgada em 2009, a campanha foi questionada pela Kia Motors do Brasil, ao afirmar que os números eram válidos apenas na Coreia do Sul e que os números de vendas incluíam as duas marcas, que são coligadas no país de origem.

A Hyundai confirmou ontem o entendimento com o Ministério Público e disse que "quer encerrar o assunto".

A doação dos veículos será feita num período de até oito meses após a homologação do acordo. O HR é produzido na fábrica da Caoa/Hyundai em Anápolis (GO) e custa R$ 60,5 mil. A unidade também produz o Tucson e o ix35.

Somando modelos importados, a Caoa vendeu 26,8 mil veículos neste ano, 18,8% menos que em 2014.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.