Multibrás mantém decisão de fechar fábrica de SBC

O encontro entre o governador em exercício, Geraldo Alckmin e representantes da Multibrás, detentora das marcas Brastemp e Consul, não resultou em mudanças. Os empresários continuaram determinados a fechar a unidade de São Bernardo do Campo, mesmo depois do encontro com o governador em exercício. "A empresa continua a dizer que essa é uma decisão tomada", afirmou Alckmin, após a reunião com o presidente da Multibrás, Paulo Periquito, e o diretor industrial, Gilberto Teixeira. O governador licenciado Mário Covas também participou do encontro. Segundo Alckmin, o problema não é a guerra fiscal, diferença tributária entre os estados. Os representates da empresa reforçaram que o problema é a ociosidade das fábricas de São Bernardo do Campo, que será fechada em julho, onde se produz 1.000 unidades por dia e há capacidade para a produção de 1.600 - e de Joinville, em Santa Catarina, que produz 10 mil unidades mas tem capacidade para 15 mil.Apesar da decisão da empresa, o governo estadual deverá insistir para que a fábrica de São Bernardo do Campo não seja fechada. Alckmin disse que uma das alternativas para o problema seria a busca de recolocação de empregos, com o aproveitamento da infra-estrutura existente, mas não detalhou outros exemplos. Nos próximos dias, o secretário de Ciência e Tecnologia, José Aníbal, vai reunir-se com os representantes da empresa para discutir alternativas, a fim de que a fábrica fique em São Bernardo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.