Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Multidão vai às ruas atrás do presente de última hora

Confederação Nacional do Comércio prevê que este será o melhor Natal, em termos de vendas, desde 2014

O Estado de S.Paulo

24 de dezembro de 2019 | 04h00

Uma multidão encheu as ruas do centro de São Paulo na segunda-feira, 23, em busca de presentes de Natal de última hora. Segundo as estimativas da associação de lojistas da Rua 25 de Março, a Univinco, até 600 mil pessoas passariam só na segunda-feira pelo centro tradicional do varejo paulistano em busca de uma lembrancinha para os parentes e amigos. 

Eles fazem parte do grupo de 13,2 milhões de pessoas que deixaram para fazer suas compras natalinas a poucos dias da data, como estimou um levantamento feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). O montante, diz a pesquisa, equivale a 10% daqueles que têm a intenção de presentear alguém, acima dos 8% registrados no ano passado. 

Segundo estimativas da Confederação Nacional do Comércio (CNC), este Natal deve ser o melhor desde 2014. A expectativa é que o varejo movimente R$ 36,3 bilhões na ocasião, perto do pico de R$ 36,5 bilhões registrados na mesma data de cinco anos atrás, calculou a CNC. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.