finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Multimilionário chinês é detido por escândalo de Xangai

O empresário Zhang Rongkun, de 33 anos, se tornou o primeiro detido por sua suposta implicação no escândalo da previdência de Xangai, o maior caso de corrupção da última década na China, informou hoje a agência estatal "Xinhua".A detenção de Zhu, a 16ª pessoa mais rica do país, em 2005, com uma fortuna de US$ 605 milhões segundo a revista "Forbes", foi anunciada em apenas uma frase pela companhia que preside, o grupo de investimentos Fuxi, que não informações sobre as acusações.O multimilionário tinha sido destituído este mês como membro do principal órgão assessor do Governo, a Conferência Consultiva Política do Povo Chinês, com pouco poder e formada por pessoas com renome em âmbitos como o empresarial, cultural ou esportivo.O escândalo, que muitos consideram uma disputa política do presidente Hu Jintao, aumentou em agosto, quando as autoridades revelaram que três executivos de empresas públicas de equipamentos industriais estavam envolvidos na má administração de US$ 400 milhões do fundo da previdência de Xangai.Até o momento, o caso custou o emprego, entre outros, do principal responsável do Partido Comunista em Xangai, Chen Liangyu, e do diretor do Birô Nacional de Estatísticas, Qiu Xiaohua.O escândalo também atingiu o diretor do Circuito Internacional de Xangai, já que parte dos fundos se malversaram na construção de uma estrada que leva ao circuito.Segundo alguns analistas, Hu está utilizando o caso para desfazer-se de seus oponentes dentro do partido que dirige China há quase seis décadas, quase todos eles vinculados ao anterior presidente, Jiang Zemin.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.