Reuters
Reuters

'Mundo se alimenta de proteínas há mil anos', diz dona da Friboi sobre alerta da OMS

Presidente do conselho do grupo JBS diz respeitar pesquisa que liga consumo de carne processada ao câncer; entretanto, executivo não considera que este seja um fator de risco para os negócios

Renato Oselame, O Estado de S. Paulo

27 de outubro de 2015 | 16h07

O presidente do Conselho de Administração da JBS, Joesley Batista, afirmou nesta terça-feira, 27, em São Paulo, que respeita a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre o consumo de carnes processadas. 

Na segunda-feira, a organização alertou que o consumo diário de 50 gramas de carnes como bacon, salsicha e linguiça aumenta o risco de desenvolvimento de câncer em 18%.

O executivo do grupo, que é dono da marca Friboi, considerou que este não é um fator de risco para os negócios. "O mundo se alimenta à base de proteínas há mais de mil anos", ressaltou. Batista complementou sua posição afirmando que, "se de um lado se descobrem causas e efeitos, em compensação a medicina é evolutiva" e pode produzir medicamentos e técnicas para lidar com a enfermidade.

A recomendação da OMS foi feita com base em um amplo estudo realizado pela Agência Internacional de Pesquisa do Câncer e provoca controvérsias entre especialistas. 

Mais conteúdo sobre:
alimentosJBSFriboi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.