Mike Blake/Reuters - 13/6/2019
Mike Blake/Reuters - 13/6/2019

Musk diz que Tesla vai interromper novas vendas de carros elétricos

O bilionário, que agora também é dono no Twitter, afirmou que a demanda pelos veículos elétricos é maior do que a produção

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de maio de 2022 | 11h07

Elon Musk, CEO da Tesla, afirmou que a montadora precisará interromper novas vendas de carros elétricos. O motivo é que a demanda supera a capacidade produtiva da empresa, o que leva a longos períodos de espera entre a compra e a entrega dos veículos. Os compradores podem precisar aguardar até um ano pelos carros da Tesla. 

“Na verdade, provavelmente vamos limitar isso – parar de aceitar pedidos por qualquer coisa por um determinado período de tempo”, disse, no seminário Future of the Car Summit, promovido pelo jornal Financial Times, na última terça-feira, 10.

Musk moderou suas expectativas para a produção anual de 20 milhões de veículos elétricos até 2030. Para ele, o objetivo era mais um desejo do que uma meta. O bilionário se disse confiante na capacidade de vender todos os veículos que a Tesla for capaz de fabricar. O Model 3, veículo do segmento de entrada da Tesla, custa a partir de US$ 41.940 (R$ 214 mil, em conversão direta).  Já o mais avançado Model X tem preços a partir de US$ 108.940 (R$  558,2 mil, em conversão direta).

A declaração vem durante o que ficou conhecido como a crise da escassez de semicondutores. A falta desses chips já levou montadoras a suspenderem temporariamente a manufatura de veículos no País desde o início da pandemia de covid-19. 

No longo prazo, o bilionário reconhece que a empresa precisa lidar com o desafio de obter matéria-prima para as baterias dos veículos da Tesla, que recentemente fechou contrato com a Vale. Musk disse que não descarta a compra de mineradoras, caso essa seja a melhor opção para o negócio.

China

Musk descartou problemas de pressões vindas da China, de onde vêm muitos componentes dos carros da Tesla, para censurar o discurso no Twitter. 

Sobre o confinamento na China para evitar a propagação da covid-19, Musk se mostrou otimista, dizendo que a situação deve ser normalizada em breve.

Twitter

Buscando fazer inimigos dos dois lados da política, Musk também atacou o viés de esquerda do Twitter e defendeu o retorno do ex-presidente Donald Trump para a rede social.O bilionário se diz um defensor da liberdade de expressão e, por isso, permitirá qualquer discurso no Twitter que não transgrida a legislação. 

Musk disse que soluções menos drásticas podem ser adotadas do que um banimento permanente para conter a disseminação de notícias falsas ou informações que causem danos. Algumas opções citadas são a suspensão temporária ou a invisibilidade da mensagem em questão na rede social.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.