Mutuário: cautela para assumir dívida

Antes de contratar um financiamento, é preciso ter alguns cuidados. O principal, segundo o advogado especialista em direito imobiliário, Ronaldo Gotlib, é verificar com atenção o valor da prestação. "O consumidor não deve assumir prestações no limite da sua receita mensal", diz. Na hora de fazer as contas, o mutuário não pode esquecer que o valor da dívida mensal pode aumentar, alerta Gotlib.O diretor de crédito imobiliário do HSBC, Eduardo Bergstein, diz que o consumidor não deve comprometer mais de 25% da sua renda. Isso porque, caso o aumento salarial não acompanhe o reajuste das parcelas assumidas, o mutuário terá um excedente em suas receitas. Respeitando esse limite, o mutuário não estoura o orçamento familiar e pode evitar problemas de atraso na quitação da dívida.Para ter uma idéia de como será feito o acerto das prestações, é preciso conhecer o sistema de amortização utilizado pelo banco. Pelo Sistema de Amortização Constante (SAC), a prestação inicial é maior do que pela Tabela Price, porque prevê amortização do saldo principal desde o início do pagamento. Como há recálculo a cada mês, ao longo do tempo o valor das prestações tende a diminuir. Já pela Tabela Price, o valor inicial da parcela fica menor do que pelo SAC, porque a prestação amortiza principalmente os juros do financiamento até a metade do prazo. Com isso, o saldo devedor cresce e o valor das parcelas aumenta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.