Mutuários com ação na Justiça estão preocupados

O ator Marcos Breda está entre os mutuários da Caixa preocupados com a transferência da carteira de devedores para a Emgea. Há algum tempo, Breda entrou com uma ação na Justiça contra a Caixa para questionar o valor das prestações de seu imóvel cuja compra foi financiada pelo banco. Ele teme que o Judiciário mude a rotina de procedimento mantida até agora por causa da chegada da nova empresa. Breda explica que vem pagando as parcelas de seu financiamento em juízo, pois não concorda com os reajustes repassados pelo agente financeiro. "Os aumentos foram abusivos. Então, decidi procurar meus direitos e passei a fazer os depósitos de acordo com o cálculo feito por um perito." O valor da prestação calculado pelo especialista é aproximadamente 90% menor do o que era pago pelo ator, anteriormente. Advogados descartam risco de quem tem ação A secretária-executiva Nancy Lima da Cruz Rangel também moveu ação contra a Caixa pelo mesmo motivo. A diferença é que Nancy tentou quitar a dívida do contrato antes de tomar essa decisão, mas, segundo ela, não houve interesse do banco em ajudá-la. O receio de Nancy é que, com a transferência da dívida habitacional para outra companhia, a Caixa deixe de arcar com suas responsabilidades. "Me preocupo também com a forma com que a empresa chegou, sem dar muitas explicações." Para os advogados, ambos podem ficar despreocupados, pois, enquanto discutem o contrato na Justiça, não correm o risco de ter o nome incluído nas listas de maus pagadores ou de ver seu imóvel ser leiloado.

Agencia Estado,

10 Dezembro 2001 | 13h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.