Na Câmara, bate-boca de ministro com deputado

A temperatura subiu ontem na audiência pública organizada pela Comissão de Agricultura da Câmara para discutir as restrições da União Européia (UE) à importação de carne bovina do Brasil. O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, e o deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) - que estão em lados opostos na discussão, mas nunca haviam se encontrado para tratar do assunto - envolveram-se num bate-boca que constrangeu os membros da comissão.O ministro iniciou a discussão ao lembrar que a lista de fazendas aptas a exportar para o bloco europeu era "contestada por alguns", mas a contestação não tinha ido parar na Justiça, como defende Caiado, que chegou a distribuir a sindicatos rurais o texto de um mandado de segurança contra a lista. "Eu gostaria que tivessem entrado na Justiça", alfinetou o ministro.Como resposta, Caiado não poupou críticas a Stephanes e disse que o ministro "lavou as mãos", depois de ter admitido, no mês passado, que o Brasil vendeu carne não rastreada à UE. "A responsabilidade é do Ministério da Agricultura, que assinou o certificado e bateu o carimbo na carcaça."Caiado criticou o ministério por não ter tomado nenhuma medida para corrigir as deficiências do sistema de rastreabilidade e por não fiscalizar as empresas certificadoras. Ele disse ainda que o ministério deveria "vocalizar" o sentimento do produtor rural, e não dos frigoríficos e da UE. Irônico, Stephanes respondeu que só podia "aplaudir" o discurso do deputado, pois não havia nele fundamentos técnicos. "Eu prefiro o senhor como médico do que como defensor dos pecuaristas", cutucou. "O senhor era um menino quando eu visitava as fazendas de sua família. Eu me hospedava", acrescentou."Vossa excelência é um pára-quedista", devolveu Caiado, pondo em dúvida os conhecimentos do ministro no setor. Stephanes citou informações de seu currículo, lembrando ter sido secretário-executivo do Ministério da Agricultura durante a gestão de Cirne Lima (1969-1973). Depois da audiência, ao falar com os jornalistas, o deputado disse ainda que Stephanes deveria renunciar. Para ele, o ministro não representa os produtores rurais. "É uma opinião isolada dele", respondeu o ministro, ao deixar a Câmara.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.