Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Na compra do carro, um ''''banho'''' de beleza

Consumidora é o foco de revendas

Márcia De Chiara, SÃO PAULO, O Estadao de S.Paulo

30 de novembro de 2007 | 00h00

Depois de cortar juros e alongar prazos, as revendas de veículos apelam para os brindes mais inusitados, na briga para fisgar a primeira parcela do 13º salário, que entra hoje no bolso dos trabalhadores.Oliana Lustosa Gomes, de 31 anos, que trabalha na área de telemarketing, nem sonhava que poderia fazer uma produção de modelo, com maquiagem, cabelo e até um book de fotos, quando fosse buscar na loja o Corsa zero quilômetro recém-adquirido. O pacote de benefícios faz parte do brinde - e inclui até bronzeamento artificial feito, é claro, numa clínica de estética - que a partir deste fim de semana será oferecido pelas três lojas da revenda de veículos Palazzo, em São Paulo.Carlos Palazzini, diretor da rede, observa que não basta mais oferecer condição de pagamento facilitada para atrair o cliente, e diz que é preciso ser "diferente". Exatamente nessa direção, a revenda detectou, por meio de pesquisas, que aumentou a fatia de mulheres comprando carros. De janeiro a setembro deste ano, 41% dos negócios da rede foram fechados com mulheres, ante 33% em 2006."Hoje, na compra do carro, a primeira palavra é do homem e a última é da mulher", diz Palazzini. De olho no mercado, ele investiu R$ 1 milhão na campanha que começa no fim de semana e deve durar três meses. O foco é a mulher que vai à loja comprar ou apenas garimpar as ofertas. Além de salão de beleza, as revendas também viraram lojas de eletroeletrônicos. Na Gran Leste, por exemplo, quem compra um determinado modelo de veículo leva de brinde uma TV de 40 polegadas com monitor de LCD e um home theater. Os dois brindes estão avaliados em cerca de R$ 5 mil, diz o gerente de Vendas, Fernando Moreira. Ele conta que os eletrônicos são bancados pelas montadoras de veículos para ampliar as vendas.A ação da indústria apoiando as promoções inusitadas pode parecer incoerente num momento que há, nos modelos mais populares, espera superior a dois meses para receber o carro zero. "Tendo ou não produto, não dá para relaxar. Mais difícil é manter o relacionamento com o consumidor", diz o diretor de Marketing da GM, Samuel Russel.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.