Na defensiva, NY fecha em alta moderada

A Bolsa de Nova York fechou em alta moderada, em dia marcado por novos sinais de desaceleração na economia norte-americana. O Dow Jones avançou 0,88%, enquanto a Nasdaq subiu 0,36%. O índice de atividade industrial da Associação Nacional dos Gerentes de Compras (NAPM) mostrou que a indústria dos EUA contraiu-se pelo sexto mês consecutivo, para níveis normalmente vistos durante períodos de recessão. Os números da NAPM desencorajaram os investidores de comprar ações de empresas cujo desempenho tende a piorar em tempos de retração econômica. Muitos adotaram posições defensivas, comprando ações de indústrias de produtos de consumo como Procter & Gamble (+2,94%), Gillette (+3,42%), Philip Morris (+4,07%) e Merck (+2,80%). "Depois do corte nas taxas de juro, estamos numa terra de ninguém. Os investidores estão se perguntando qual será o próximo catalisador do mercado, e não vêem nenhum", comentou Mark Donahoe, diretor de trading da US Bancorp Piper Jaffrey. Ned Riley, estrategista da State Street Global Advisors, observou que os investidores estão sendo obrigados a trabalhar com fatores conflitantes, que fazem o mercado operar sem direção. "Estamos chegando ao fim da temporada de informes de resultados", lembrou Riley. Entre as ações de empresas que divulgaram resultados hoje estavam Colgate-Palmolive (+1,66%) e Terra Lycos (-4,60%). As da General Electric subiram 0,50%, após informes não-confirmados de que a empresa estaria planejando demitir 75 mil funcionários nos próximos anos. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.