Na despedida do FMI, Rato faz alerta para queda do dólar

O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Rodrigo de Rato, fez ontem seu último discurso à frente da instituição ao final da reunião anual do FMI e do Banco Mundial com dois alertas. Rato reafirmou que o momento atual para a economia global ainda é de incertezas por causa das turbulências no mercado de crédito - o que levará a uma desaceleração do crescimento - e disse que há risco de uma ''''queda abrupta'''' da moeda americana.''''O risco de uma queda brutal do dólar existe e essa queda poderia ser a conseqüência ou a causa da perda de confiança nos ativos cotados em dólar.''''Em meio às advertências, Rato disse que ficar três anos e meio à frente do FMI foi uma das maiores honras de sua vida. Estavam presentes na despedida, entre outros, o secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Henry Paulson, o presidente do Bird, Robert Zoellick, e o próximo diretor-gerente do FMI, Dominique Strauss-Kahn, que assume em 1º de novembro.Rato não deu pistas do que fará na Espanha após deixar o FMI. ''''Por ora, tenho de ir embora, chegar, aterrissar, pensar e daí veremos.'''' Ele descartou um retorno à vida política espanhola ou européia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.