Na fronteira, desmatamento ainda é a lógica

Enquanto no Sudeste, Sul e Centro-Oeste a lógica de expansão de lavouras se modifica, com a desaceleração do desmatamento e o avanço de atividades mais rentáveis sobre pasto degradado, no Norte - onde está a maior parte do Bioma Amazônia - e nos cerrados nordestinos, na região conhecida como Mapito (Maranhão, Piauí e Tocantins), além do oeste baiano, a remoção de vegetação nativa ainda impera. "É bom lembrar, porém, o benefício econômico que vem por trás disso", ressalta André Meloni Nassar, do Icone. De 2005 para cá, estudo do instituto aponta que, no Norte do País, 93% da floresta desmatada foi ocupada por pasto e 7% por lavouras anuais. No caso do Mapito e Bahia, 64% das áreas desmatadas foram ocupadas por lavouras anuais e 36% receberam pastagem. / T.R.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.