Na imprensa francesa, Lula tenta minimizar crise com Argentina

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu hoje a integração latino americana e disse que a chamada crise entre Brasil e Argentina está "super dimensionada" na imprensa. Sem citar explicitamente a Argentina, Lula reconheceu que a busca por uma cadeira no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) poderia estar causando ciúmes entre os vizinhos. Na entrevista de cerca de 50 minutos concedida a três empresas jornalísticas francesas, o presidente ressaltou que o Brasil briga não por uma cadeira na ONU, mas pela democratização daquele organismo internacional, relatou um dos jornalistas presentes.Preocupado em mostrar o esforço do Brasil em manter as boas relações com a Argentina, o presidente Lula afirmou que "qualquer que seja o problema, nada justifica atrapalhar o trabalho de integração entre os dois países feito nos últimos dois anos".Sem afirmar se irá ou não procurar o seu colega argentino para esclarecer as divergências, o presidente Lula comentou que não tem problema algum em procurar Nestor Kirschner ou conversar com ele. "Posso falar com ele a qualquer hora, a qualquer momento", observou Lula, tentando reduzir a dimensão do problema entre os dois países. Para o presidente, os problemas com o "país irmão" vão "passar logo " e "não vão atrapalhar o trabalho de integração".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.