carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Na recepção real, pompa e carruagem

Mas o presidente Lula diz que prefere os trabalhadores à realeza

O Estadao de S.Paulo

07 de setembro de 2012 | 00h00

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve recepção digna da realeza sueca em Estocolmo, com direito a carruagem aberta. No fim do dia, depois de ter sido saudado, com pompa e circunstância, pela rainha Silvia - filha de brasileira, que viveu no Brasil dos 4 aos 13 anos - e pelo rei Carlos XVI Gustavo, Lula confessou preferir os trabalhadores aos monarcas, sob o argumento de que é republicano.''''Quando eu deixar a Presidência da República, meu mundo será o dos trabalhadores'''', disse ele, em encontro com líderes sindicais na Federação Sueca dos Trabalhadores da Indústria Metalúrgica (IF Metall).Lula fez o comentário a uma repórter sueca, que perguntou se ele preferia a realeza ou os trabalhadores. ''''Estou presidente, mas, quando terminar o mandato, volto ao meio no qual construí minha carreira, com os trabalhadores e a sociedade.''''O presidente chegou a Estocolmo ontem de manhã, vindo da Finlândia, numa viagem em que atua como garoto-propaganda dos biocombustíveis. Ao meio-dia, ele e a primeira-dama, Marisa Letícia, atravessaram a Ponte Norrbro em duas carruagens, até o Palácio Real. Lula estava acompanhado do rei. Atrás dele, outra carruagem levava Marisa e a rainha.O cortejo teve a escolta da Guarda Real montada. Às margens do Lago M?llaren, bandeiras do Brasil e da Suécia enfeitavam o trajeto. No palácio, Lula atravessou um tapete azul e passou as tropas em revista. Depois dos cumprimentos oficiais, foi saudado por cerca de 200 brasileiros, atrás de um cordão de isolamento, ainda no pátio do palácio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.