Na véspera da decisão do Copom, Bolsa e dólar recuam

A reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) começou hoje e a decisão sobre os rumos da Selic, a taxa básica de juros da economia, será conhecida amanhã. A Selic está em 26,5% ao ano e muitos analistas acreditam em um corte de 0,5 ponto porcentual. Além disso, há uma forte perspectiva de redução da alíquota do compulsório - parcela recolhida pelas instituições financeiras ao Banco Central (BC). Para chegar a uma decisão sobre a Selic, o Comitê toma por base o comportamento da inflação. Hoje, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgou o resultado da segunda prévia de junho do Índice Geral dos Preços de Mercado (IGP-M), que apontou uma deflação de 0,66%, maior do que a expectativa dos economistas, que previam uma variação negativa entre 0,20% e 0,50%. O resultado reforçou as expectativas de redução da taxa Selic. No mercado cambial, o dia foi de oscilação - a máxima foi de R$ 2,8980 e a mínima, R$ 2,8590. No encerramento dos negócios, o dólar era vendido a R$ 2,8650, em queda de 0,35% em relação aos últimos negócios de ontem.Nas operações com contratos de juros pós-fixados (DI), com vencimento em janeiro de 2004, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), as taxas fecharam em 23,12% ao ano - contra 23,09% de ontem. Já a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em queda de 0,40%, com volume financeiro de R$ 644 milhões. Em Nova York, o Dow Jones - índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa - subiu 0,04% e a Nasdaq - bolsa que negocia ações do setor de tecnologia e Internet - registrou ligeira valorização de 0,12%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.